AccueilFestas e socialidades

Festas e socialidades

III colóquio internacional

*  *  *

Publié le jeudi 16 juin 2011 par Marie Pellen

Résumé

De 31 de Agosto a 2 de Setembro de 2011 realiza-se na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (FAFCIH-UFMG) o III Colóquio Festas e Sociabilidades, uma iniciativa com coordenação de Léa Freitas Perez (UFMG) e Graça Índias Cordeiro (CIES-IUL) organizada pelo Centro de Estudos da Religião Pierre Sanchis da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e pelo Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES-IUL).

Annonce

PROGRAMA PROVISÓRIO

31 de Agosto de 2011


Atividade: sessão solene de abertura do Colóquio
Local: Auditório Bicalho da FAFICH
Horário: 10h
 
Atividade: Conferência de abertura - Joaquim Pais de Brito (Diretor do Museu Nacional de Etnologia de Portugal) - O intrigante calendário entre dois hemisférios
Auditório Bicalho da FAFICH
Horário: 10h30-12h30

Atividade: Sessões temáticas primeira reunião
Horário: 14h-17h
Local: salas da FAFICH 

1 de Setembro de 2011 

Atividade: Mesa redonda - Festas e socialidades: diálogo Brasil Portugal homenagem a Pierre Sanchis
Local: Auditório Baesse da FAFICH

Horário: 10h30-12h30
Participantes: Joaquim Pais de Brito (Diretor do Museu Nacional de Etnologia - Portugal) - O que iremos comer  
Graça Índias Cordeiro (ISCTE-IUL) - A rua em festa: a identidade em ação
Ana Lúcia Modesto (CER-Pierre Sanchis/UFMG) - A memória na religião

Horário: 10h30-12h30
Local: salas da FAFICH
Atividade: Sessões temáticas – segunda reunião

2 de Setembro de 2011 

Horário: 10h30-12h30
Local: salas da FAFICH
Atividade: Sessões temáticas terceira reunião

Local:

FAFCIH/UFMG

Coordenação:

Léa Freitas Perez (UFMG) e Graça Índias Cordeiro (ISCTE-IUL)

Organização:

Centro de Estudos da Religião Pierre Sanchis/UFMG e Centro de
Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTEIUL)

Objetivo geral:

dar continuidade ao trabalho iniciado nos dois colóquios já realizados
(2006 e 2008), ampliando seu espectro, pela introdução da vertente internacional, sob
a forma de colaboração conjunta na organização do evento e na perspectiva de
ampliação do diálogo acadêmico entre Brasil e Portugal, num campo de pesquisa em que
ambos países tem férteis manifestações e uma sólida tradição de trabalho, mas cujo
diálogo e troca são ainda relativamente modestos.

Objetivo específico:

oportunizar um espaço de troca generalizada entre
pesquisadores de diferentes áreas (sociologia, antropologia, história, comunicação
social, turismo, educação física, etc.) que estudam o fenômeno festivo em suas
múltiplas dimensões e articulações com as diferentes formas de viver a experiência
humana em coletividade.

Informações:

site www.fafich. ufmg.br (em breve) ou pelo e-mail:
dsoa@fafich.ufmg.br

Submissão de comunicações para as sessões temáticas:

As propostas deverão ser encaminhadas diretamente aos coordenadores até 31
de maio de 2001.
Orientações para o envio:
1- Título da comunicação com resumo até 1800 caracteres (ou 300 palavras), em
editor padrão (fonte Times New Roman, tamanho 12).
2- Informar nome, instituição de pertencimento, cidade e estado, endereço
residencial, telefone e e-mails.
3- Os trabalhos selecionados serão divulgados no site do evento a partir do dia 20 de
junho de 2011.

Sessões temáticas

ST 01 - A festa, pensamento de Jean Duvignaud, e outros pensamentos

Coordenação: Roberto Motta (Universidade Estadual da Paraíba) -
rmcmotta@uol.com.br Claude Ravelet (CERReV) - bastidiana@orange.fr

Resumo: A reflexão sobre a festa suscita problemas que vão além da simples
descrição folclórica e etnográfica. Como compreender a especificidade do fenômeno,
através de teorias centradas sobre a utilidade, a produção e as relações de poder?
Como entender, à base de estruturas mentais de caráter apenas conceptual, a festa
que se manifesta através da aparente inutilidade daquilo que, em sentido amplo,
podemos denominar “orgia”, abrangendo música, dança, emoção, excesso, às vezes
transe? Estas foram algumas questões sobre as quais se debruçou Jean Duvignaud
(1921-2007), em livros como Festas e Civilizações (1975), num período em que
funcionalismo, estruturalismo e materialismo histórico dominavam o pensamento
social, na França e noutros países. A revisão operada por Duvignaud, com relação a
esses sistemas, não perdeu a atualidade e faz parte da temática desta ST, aberto
àqueles que mesmo sem adesão ou conhecimento prévio de Duvignaud, queiram
participar do debate sobre festa, estrutura, rito, transe e sobre a própria natureza
da cultura.

ST 2: Festas: Diálogo entre a História e a Antropologia

Coordenação: Flávia Pires (UFPB) – ffp23279@gmail.com e Flávia de Sá Pedreira
(UFRN) – flasaped@uol.com.br

Resumo: Se transitoriedade e efemeridade correspondem a estrutura profunda e
atemporal da festa, ela só se realiza numa sociedade determinada, num tempo
particular, portanto, atravessada pela história concreta. Toma-se a festa, seguindo a
inspiração de Pierre Sanchis, como uma totalidade significante que se realiza tanto
como "documento etnográfico situado" quanto como "pedaço de história". A partir
deste ponto de vista, a ST, dando continuidade às discussões realizadas no II
Colóquio, propõe um diálogo e uma mútua interpelação entre a antropologia e a
história, colocando em discussão trabalhos que privilegiam ritos, comemorações e
festividades em distintos contextos históricos e etnográficos, almejando tornar
perceptíveis e compreensíveis mundos festivos diversos, penetrar em suas estruturas
e restituir o movimento mesmo da vida que os constituem (em suas especificidades
históricas).

ST 3- Festa, lazer e turismo

Coordenção: Christianne Luce Gomes (UFMG) - chrislucegomes@gmail.com.br e Vânia
Noronha (PUC Minas)- vaninhanoronha@yahoo.com.br

Resumo: Sendo o lazer um campo multidisciplinar e considerado um fenômeno
sociocultural que envolve a produção de subjetividades em várias dimensões das
culturas, esse grupo de trabalho pretende privilegiar os estudos sobre as festas
enquanto constituinte desse fenômeno e potencial elemento para o desenvolvimento do
turismo nas localidades. A festa, em sua diversidade, é um dos mais expressivos
conteúdos culturais do lazer e permite, por meio de seus significantes, um campo
aberto às experiências lúdicas, promotora de diferentes formas de sociação. A ST
objetiva ainda compreender as interferências do turismo nos contextos festivos e
sociais.

ST 04 - Festas e etnografia

Coordenação: Maria Laura Cavalcanti (UFRJ) - cavalcanti.laura@gmail.com e Luciana Chianca - luchianca@cchla.ufrn.br (UFPB)

Resumo: A diversidade, concretude e plasticidade das festas, festivais e ritos
festivos configuram uma rica área da investigação etnográfica na produção
antropológica atual. Marca disciplinar da antropologia, a etnografia vem sendo
constantemente revisitada enquanto método de pesquisa, gênero narrativo e lugar
central de produção conceitual. Sua potencialidade investigativa oferece-se às várias
ciências sociais que a ela recorrem e tem constituído um lugar de permanente
renovação do saber antropológico. A ST proposta enfoca a etnografia desse amplo
universo. Busca refletir e analisar também a escrita e a experiência com a etnografia
das festas que abre universos de questões próprias e ilumina a discussão do alcance
das teorias sociais clássicas e contemporâneas, as relações intersubjetivas
estabelecidas no processo de produção de conhecimento e as especificidades dos
diversos campos abordados.

ST 05 - Festa e performance em espaço público

Coordenação: Paulo Raposo (ISCTE-IUL/CRIA) – pjp.raposo@gmail.com e Jonh
Dawsey (USP/NaPedra) - johndaws@usp.br

Resumo: As indefinições contemporâneas relativamente ao cruzamento entre arte e
cidade facilitam trânsitos e diálogos entre o campo da performance e o das ciências
sociais que aqui queremos explorar por via da festa em espaço público. Ambíguos
sentidos e desígnios para os espaços e monumentos públicos e para as intervenções
urbanas, problemáticos modelos de exibição da arte, dilemas entre espaços
institucionais e "novos espaços", democratização do acesso à cultura e
reconhecimento da presença de agentes mercadológicos, são alguns dos tropos de
debate. Neste dialógico movimento, e sob um foco na dimensão festiva e performática
em meio urbano, trata-se de equacionar modos de deselitizar e deslocalizar a
produção artística, confinada aos museus, galerias e outros espaços institucionais,
abrindo-a para a participação coletiva, colaborativa, contextualizada ou até mesmo
radicalizante e interventiva, explorando a festa enquanto performance em espaços
públicos em resposta aos processos de exclusão, silenciamento e invisibilidade em
curso na sociedade contemporânea. A diversidade dos espaços públicos como cenários
performativos – não-lugares, terminais de transportes, avenidas, praças, becos e
traseiras, prédios devolutos, instalações fabris, mercados, etc. – e das festividades
urbanas na sua cumplicidade com o corpo do performer e dos acidentais transeuntes
poderão ser aqui exploradas reflexivamente no contexto da produção de identidades
colectivas ou especificas ou de processos de turistificação e mercadorização da
cultura. O tom da interdisciplinaridade entre as esferas estéticas, sociopolíticas e
antropológicas, debate que envolve artistas e não-artistas, justifica-se.

ST 06 - Festa, arte e comunicação

Coordenação: Leila Amaral (UFJF) – leilaamaral46@gmail.com e Eufrázia Menezes
(UFSE) - eufrazia@uol.com.br

Resumo: A ST tem como objetivo reunir relatos de pesquisas e investigações teóricas
que abordem a dimensão estética das festas, rituais e celebrações, na sociedade
contemporânea – quer sejam elas de caráter político, religioso, artístico, entre outras
possibilidades, assim como o caráter ritual e celebrativo que vem se destacando nos
eventos turísticos hoje em dia. Busca-se colocar em debate opções analíticas e
descrições etnográficas que contemplem e ampliem a discussão sobre o poder de
comunicação das linguagens artísticas, historicamente combinadas por diferentes
grupos e em diferentes contextos sócio-culturais, para fazer declarações rituais
específicas. Pretende-se reunir antropólogos e pesquisadores de áreas afins
almejando agregar diferentes contribuições teóricas e metodológicas que
proporcionem o refinamento teórico e o alargamento da compreensão do
tema colocando em destaque a força de representação, expressão e persuasão das
linguagens artísticas ou, num sentido inverso, sua força para a provocação,
transformação e destruição de formas de comportamento e de percepção de mundo.

ST 07 - Catolicismo e tradições religiosas: narrativas e memória

Coordenação: Mara Regina do Nascimento (UFU) - mara.regina10@gmail.com e Mauro
Passos (PUC Minas) - mauruspax@terra.com.br

Resumo: As tradições religiosas com diversas formas de representação povoam o
campo religioso brasileiro. Um mosaico de mistério, com rituais próprios, encobre a
vida, a história das instituições, dos grupos e indivíduos. Um olhar sobre as tradições
religiosas brasileiras revela múltiplas dimensões, pois guarda três matrizes históricas
– a indígena, a portuguesa e a africana. Mitos, fantasias, crendices, projetos e
aspirações compõem seu cenário. Assim nascem as narrativas que revigoram a
memória com sonhos e histórias. O campo religioso brasileiro constrói-se e
reconstrói-se constantemente nas diversas formas de relação. A religião católica
articulou-se com as tradições indígenas e africanas no tempo e no espaço, ganhando
vitalidade e novas formas de expressão. No cenário religioso brasileiro, vozes,
imagens e significados se integram. Estudar o tempo presente implica um olhar sobre
o passado, pois esse exercício refaz nossa história cultural e religiosa e cartografa
nossa estrutura sincrética. Esta é a temática a que se propõe esta ST.

Inscrições para o colóquio:

na secretaria da FAFICH, dias 31 de agosto e 01 de setembro de 2011
Valor: R$ 50,00.

Lieux

  • Minas Gerais (Brasil), Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (FAFCIH-UFMG). Auditório Baesse da FAFICH

Dates

  • mercredi 31 août 2011
  • jeudi 01 septembre 2011

Fichiers attachés

Mots-clés

  • sociabilidade, festas, performance, espaço público, exclusão, silenciamento, invisibilidade, tradições religiosas

Contacts

  • Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas
    courriel : dsoa [at] fafich [dot] ufmg [dot] br

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Festas e socialidades », Colloque, Calenda, Publié le jeudi 16 juin 2011, http://calenda.org/204657