AccueilPesquisa e infância

Pesquisa e infância

Desafios que as crianças lançam à etnografia

*  *  *

Publié le jeudi 08 septembre 2011 par Marie Pellen

Résumé

O CIIE da FPCEUP e CRIA/FCSH-UNL estão a organizar o seminário internacional "Pesquisa e Infância: desafios que as crianças lançam à etnografia". A iniciativa irá realizar-se no Porto (Portugal), nos dias 3 e 4 de Novembro de 2011. O período de submissão de propostas decorre até ao dia 30 de Setembro de 2011.

Annonce

O Centro de Investigação e Intervenção Educativas (CIIE) da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP) e o Centro em Rede de Investigação em Antropologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (CRIA/FCSH-UNL) estão a organizar o seminário internacional "Pesquisa e Infância: desafios que as crianças lançam à etnografia".

A iniciativa, que irá realizar-se na FPCEUP nos dias 3 e 4 de Novembro de 2011, terá como conferencista convidada Pia Christensen (Instituto de Educação da Universidade de Warwick) e visa contribuir para interrogar e repensar os modos como a Etnografia, com todo o seu potencial, mas também com todos os dilemas e desafios, tem contribuído para conhecermos as crianças e a infância e a partir destas também se tem transformado.

Introdução

Um dos desafios que os Estudos Sociais da Infância colocam aos/às adultos-investigadores/as interessados/as em conhecer as crianças como actores sociais que efectivamente têm uma determinada agency, é o de porem mãos à obra e de tentarem descobrir essa mesma agência pelo uso da Etnografia.

O acervo de conhecimento que entretanto existe acerca da diversidade e complexidade dos mundos sociais das crianças e da pluralidade de infâncias atesta o sucesso que este empreendimento tem alcançado. No entanto, isso não significa que a Etnografia presente nos estudos da infância esteja ou seja isenta de problemas epistemológicos, teóricos, metodológicos e éticos que acarretam consequências para a construção social da infância e para o próprio conhecimento que é gerado. Por seu turno, nos textos académicos nem sempre é visível a reflexividade inerente e emergente da prática etnográfica com crianças, que é essencial para esclarecer os processos de produção de conhecimento e para repensar o contributo desta abordagem na contemporaneidade, nas várias disciplinas das Ciências Sociais.

Neste sentido, para quem está interessado em conhecer as crianças e a infância através da Etnografia, colocam-se como desafios actuais, entre outros: i) procurar colmatar os bias já identificados nas etnografias com crianças – idades, classe social e espaços sociais – e atender à multiplicidade de outros aspectos presentes na sua vida social além da escola; ii) reconsiderar o alerta de A. James (2007) para as questões de autenticidade e de representação inerentes aos estudos contemporâneos sobre a infância e a sua tradução, interpretação e mediação, evitando o seu uso como instrumento retórico, uma vez que “a investigação acerca da infância não é simplesmente fazer com que as vozes das crianças sejam ouvidas, no seu sentido mais literal, através da apresentação das perspectivas das crianças. É também explorar a natureza da “voz” que é atribuída às crianças, como é que esta voz forma e reflecte os modos pelos quais a infância é compreendida, e portanto, os discursos nos quais as próprias crianças se reconhecem dentro de qualquer sociedade” (idem: 266).

Com base na análise da produção científica que hoje em dia faz uso da Etnografia nos vários campos disciplinares a proposta deste Seminário tem a intenção de i) perceber o lugar que as crianças e a infância ocupam nestes estudos e alguns dos paradoxos inerentes ao impacto e tensões que sofrem num espaço-tempo crescentemente globalizado; ii) partilhar e analisar reflexivamente a vivência de dificuldades no nosso próprio fazer etnográfico, em campos disciplinares e contextos de investigação diferentes.

Retomamos, assim, a proposta feita no painel organizado no congresso da Associação Portuguesa de Antropologia, em 2009, na expectativa de que os avanços conseguidos nestes dois anos possam ampliar e aprofundar a reflexão então iniciada, juntando-a a outras já em curso nos campos da Sociologia, Educação, Comunicação, etc. Do mesmo modo, estaremos a tentar acompanhar o movimento académico internacional, contribuindo com a especificidade da investigação que se faz em Portugal.

Objectivos

Pretende-se que este seminário possa contribuir para interrogar e repensar os modos como a Etnografia, com todo o seu potencial, mas também com todos os dilemas e desafios, tem contribuído para conhecermos as crianças e a infância e a partir destas também se tem transformado.

De modo mais específico procura-se:

  • Ampliar e aprofundar o debate sobre questões epistemológicas, teóricas, metodológicas e éticas inerentes à etnografia com crianças e acerca da infância;
  • Construir um espaço de reflexão crítica, contínua e sistemática sobre a prática etnográfica neste campo de estudos;
  • Promover o intercâmbio entre investigadores e áreas disciplinares, de modo a criar possibilidades de colaboração em projectos de pesquisa e outras iniciativas científicas e educacionais conjuntas;
  • Dispor de tempo e espaço para a discussão das comunicações apresentadas.

Temas e Tópicos

  • O potencial e as limitações da prática etnográfica;
  • A opção pela Etnografia como ferramenta de recolha de dados qualitativos ou/e como campo metodológico e disciplinar;
  • A construção do campo etnográfico: dilemas, dificuldades e estratégias;
  • Da recolha etnográfica à apresentação de resultados de investigação;
  • A etnografia nas diferentes ciências sociais e humanas;
  • A etnografia com crianças e os diferentes contextos sócio-educativos da contemporaneidade;
  • A experiência etnográfica com crianças em espaços/tempos públicos e privados;
  • Ética na pesquisa etnográfica com crianças - dilemas e desafios;
  • Contributos da etnografia para os campos sócio-educativos e da intervenção social;
  • A etnografia com crianças e os “novos” sujeitos (crianças dos 0-3, crianças portadoras de deficiência, migrantes…);
  • Etnografia com crianças e uso de outras metodologias e técnicas de pesquisa (captação, uso e veiculação de imagem, desenhos e áudio);
  • Etnografia nos estudos de género, idade, etnia e identidade;
  • Etnografia nos campos da comunicação e media;
  • A reflexividade inerente à prática etnográfica e sua influência nos sujeitos de investigação;
  • O papel da etnografia e do(a) etnógrafo(a);
  • A criança dentro do etnógrafo e as distâncias cognitivas na investigação.

Organização

  • Manuela Ferreira – FPCE-CIIE/UP
  • Sofia Silva – FPCE-CIIE/UP
  • Ângela Nunes – CRIA/FCSH-UNL

Chamada de trabalhos

Serão aceites propostas de várias áreas disciplinares, desde que contemplem de modo explícito e objectivo pelo menos uma das temáticas acima mencionadas. As contribuições podem conter texto e imagem.

A proposta deve conter título, resumo até 250 palavras, 5 palavras-chave, nome do/a autor/a, breve biografia (até 50 palavras) e filiação institucional.

Línguas do evento: português e espanhol

Enviar propostas para: sofiamsilva@fpce.up.pt; manuela@fpce.up.pt; angelanns@gmail.com

Inscrições:

Inscrição on-line:

http://www.fpce.up.pt/ciie/infancia/registration.html

Valor(es) da inscrição:

40 euros
15 euros (estudantes)

Datas importantes:

Até 30 de Setembro: Submissão de resumos

Até 10 de Outubro: Devolução dos resultados

De 10 a 30 Outubro: Inscrição e pagamento

Lieux

  • Rua Alfredo Allen (Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto)
    Porto Alegre, Brésil

Dates

  • vendredi 30 septembre 2011

Contacts

  • Sofia Marques da Silva
    courriel : sofiamsilva [at] fpce [dot] up [dot] pt

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Pesquisa e infância », Appel à contribution, Calenda, Publié le jeudi 08 septembre 2011, http://calenda.org/205123