AccueilSeminários CRIA (2011-2012)

*  *  *

Publié le mardi 11 octobre 2011 par Marie Pellen

Résumé

O CRIA - Centro em Rede de Investigação em Antropologia organiza um ciclo de seminários que promovem o debate científico e a difusão da pesquisa. O próximo seminário terá lugar no dia 10 de Outubro de 2011, na FCSH - Universidade Nova de Lisboa (Portugal).

Annonce

10 de Outubro de 2011

18:00. FCSH-UNL, Edifício ID, Sala Multiusos 3

Neusa Gusmão. UNICAMP, Brasil. neusagusmao@uol.com.br

Africanos dos PALOP no Brasil: imigrantes, refugiados e estudantes

A questão a ser discutida diz respeito aos impactos vividos pelos estudantes universitários tidos como estrangeiros, africanos e negros no Brasil e aos processos de mudança relativos ao estar em outro país e em contato com outra cultura. A análise se faz em torno da natureza da inserção e integração social e política dos estudantes em Campinas, SP e Porto Alegre. Considera o campo da educação e apresenta seu conteúdo, qual seja: a migração temporária de estudantes africanos que buscam sua formação no Brasil e que os inscreve na chamada Circulação Internacional; trata dos movimentos migratórios internacionais e dá relevo ao "estranhamento e discriminação do estrangeiro, principalmente o estrangeiro pobre", negro, muitas vezes, clandestino ou refugiado. A análise apresenta o caso de angolanos refugiados e estudantes da região da Campinas/SP e de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Discute ainda, um projeto nacional e coletivo, nem sempre consciente ou explícito que envolve os países em relação. Aponta para a Circulação Internacional de estudantes e considera, não apenas o ir e o vir entre África e Brasil, mas, também, a dimensão da Cooperação Internacional entre países que ao deslocar indivíduos que deixam seus países de origem em África a partir de acordos e projetos articulados por suas nações respectivas, acaba por evidenciar a natureza das relações sociais em jogo na sociedade brasileira que ao envolver a questão da origem e da cor, resulta também num problema de ordem racial, não ausente das universidades que acolhem estudantes africanos no Brasil.

24 de Outubro de 2011 

18:00 h - 20:00 H
ISCTE-IUL, Sala C302
Peter Anton Zoettl - CRIA -IUL, pantonz@yahoo.de Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Images of Culture: Participatory Video, Identity and Empowerment.

The seminar is a critical reflection on the possibilities of "participatory video" for anthropological research and the empowerment of ethnic minorities, based on ongoing fieldwork with emergent Indians in Brazil and African immigrants in Portugal. While having been widely used within development studies, "participatory video" is still in its infancy in the realm of anthropology, mainly as a result of the lack of a social sciences framework for the evaluation of most of the participatory video works which deal (both explicitly and not) with "anthropological" subjects and questions. In the seminar I will screen and discuss the outcome of "participatory video" workshops I have conducted recently, addressing question of "image", "identity" and "awareness".

7 de Novembro de 2011

18:00 h - 20:00 H
ISCTE-IUL, Sala C302
Sandra C. S. Marques - CRIA-IUL, sandrasimoesmarques@hotmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Representações do corpo na imprensa diária da Índia bengali

Este seminário procede a uma análise quantitativa e qualitativa de fotografias "jornalísticas" publicadas na imprensa escrita diária em Kolkata no estado de West Bengal, Índia. Pretende examinar as representações massificadamente mediatizadas dos corpos de sujeitos adultos, com vista à identificação das estratégias de construção de modelos de ordenamento social e ascrição identitária que, em última instância, se reflectem na constituição/reprodução da cultura dominante bengali. A convergência de dados permitiu ainda uma sub-análise comparativa com estudos efectuados sobre as representações do género feminino na imprensa diária em Portugal.

21 de Novembro de 2011

18:00 h - 20:00 h
FCSH-UNL, Sala a designar
Luís Silva - CRIA / FCSH - UNL, luis.silva98@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Observação Turística de Cetáceos nos Açores: Estudo Antropológico

Este seminário aborda o tema da observação turística de baleias e de outros cetáceos nos Açores. Nos últimos vinte anos, esta indústria tem vindo a desenvolver-se de modo significativo no arquipélago, existindo actualmente 23 empresas e 53 embarcações licenciadas para o efeito, enquanto o número de clientes ronda os 50.000/ano. Mais do que caracterizar a oferta e a procura do ponto de vista socioeconómico, nesta sessão proponho-me discutir os efeitos da actividade no contexto social, principalmente no que diz respeito às relações interpessoais. Verificar-se-á que a competição por este recurso económico gera alianças e tensões entre indivíduos e grupos sociais, alterando a forma como eles interagem entre si. A minha discussão baseia-se em dados recolhidos em 2011 num estudo antropológico centrado nas ilhas de São Miguel e do Pico, particularmente em Ponta Delgada e nas Lajes do Pico, por ser aqui que o sector está mais desenvolvido.

5 de Dezembro de 2011

18:00 h - 20:00 H
ISCTE-IUL, Sala C302
José Mapril - CRIA -IUL, jmapril@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Contos de traição e (des)ordem: faccionalismo e izzat entre migrantes do Bangladeche em Portugal

Em finais de 2010, e depois de vários anos de impasse, vários facções bangladechianas em Portugal chegaram a acordo relativamente à formação de uma nova associação de representação desta população junto das autoridades Portuguesas. Para o efeito, em Abril de 2011, realizaram-se eleições, para as quais se mobilizaram probashis a residir em várias partes da Europa, e cujos resultados foram surpreendentes. Ao longo deste seminário, e recorrendo a uma metodologia inspirada no extended case method, procurarei descrever e analisar não apenas o processo eleitoral mas também as posições e perspectivas das diversas facções e seus líderes.

9 de Janeiro de 2012

18:00 h - 20:00 H
ISCTE-IUL, Sala C302
Luís Silva Pereira - CRIA, igarape@vodafone.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Abandono e precariedade

A precariedade agudiza-se e alastra na Europa e no mundo (Bourdieu 1993, 1998). As relações entre os indivíduos tornam-se mais fluidas (ou "líquidas", Bauman 2000), mais instáveis, mais precárias. As famílias transformam-se: diminui o número de famílias alargadas, cresce o número de "lares (ou "domicílios") unipessoais", das famílias monoparentais e das famílias sem filhos. O sedimento da socialização perdeu a sua consistência, a incerteza quanto ao futuro instalou-se (Bauman 1995). A regra é a solidão imposta ao indivíduo, não a escolhida por ele (Augé 1992).
A hipótese de que parte a investigação é que a precariedade e o abandono se manifestam em diferentes áreas da vida dos humanos e em diferentes zonas geográficas do país, assumindo formas e efeitos distintos nas suas vidas. A pesquisa decorrerá na Grande Lisboa e no Alentejo e deverá centrar-se em indivíduos com mais de 65 anos.

27 de Fevereiro de 2012

18:00 - 20:00
ISCTE-IUL, Sala a designar

Anna Fedele - CRIA -IUL, fedele.anna@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Ritual Creativity and Religious Critique: the Goddess Movement in Lisbon

In this talk I would like to explore my findings during ongoing fieldwork in Lisbon about the so-called "Goddess movement". Coming mainly from the United States and the United Kingdom this religious movement is related with the "New Age" but also with Neopaganism and its members share a spirituality based on gender-equality that has at its center the veneration of an entity identified as "Mother Earth". Deeply concerned about ecology they refer to a transnational and transhistorical pre-Christian pagan and matriarchal heritage.
In recent years the transnational Goddess movement has slowly found its way into Portugal as well as into other countries with a strong Catholic background such as Italy or Spain. Drawing on my recent fieldwork findings I intend to explore the way in which the Portuguese attracted by the Goddess spirituality interpret and transform the clearly anti-Christian statements related to the main theories of the Goddess movement. I will focus particularly on the rituals they create and on the religious critique expressed through their ritual creativity. I will argue that through their theories and ritual practices these men and women challenge the religious culture they know from their childhood in Catholic families but also the sexist assumptions inherent in the social order they grew up in.

5 de Março de 2012

18:00 - 20:00
FCSH-UNL, sala a designar
Clara Saraiva - CRIA - FCSH-UNL, clarasaraiva@fcsh.unl.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

A invisibilidade da morte entre populações migrantes em Portugal

Apesar dos estudos realizados em torno da recente condição de Portugal enquanto país de imigração, têm sido negligenciadas algumas questões importantes relacionadas com os estados de sofrimento e morte - ‘estados de aflição' - dos imigrantes. A morte, em particular, é um tema difícil mas crucial que não tem sido tocado nos estudos sobre imigração.
Como é que os imigrantes percepcionam a morte e a incorporam na conceptualização da diáspora? Como é que os diferentes grupos de imigrantes conceptualizam o sofrimento e a morte nos outros grupos? Como é que os portugueses olham para a morte dos imigrantes, um assunto pouco discutido mas que gera preconceitos e mistificações variadas?
Numa sociedade ocidental em que a morte se tornou um tabu, e que é pensada como algo que só acontece aos outros, este distanciamento face ao último rito de passagem da vida pertence à esfera do mito e do preconceito - a invisibilidade da morte. Para os imigrantes, ela é uma realidade com que têm de lidar e que frequentemente determina o tão ambicionado regresso temporário a casa. A morte é aqui vista não apenas como um momento no tempo, mas como um processo, que envolve estados emocionais específicos e que desencadeia o uso de rituais para lidar com a inevitável angústia que tende a adquirir aspectos ainda mais complicados quando se está longe de casa.
Propomos analisar os níveis múltiplos que a morte toca, desde os mais simbólicos aos mais práticos. A morte é uma dimensão onde a abordagem transnacional é obrigatória - juntamente com o debate crítico sobre o sentido do ‘transnacional' e as suas características multifacetadas-- já que encerra uma intensa circulação, não apenas de bens materiais e riqueza, mas também de universos significativos e simbólicos que circulam juntamente com os bens e as pessoas: o corpo, mas também os espíritos e as relações com o outro mundo que as pessoas trouxeram para a diáspora.
Esta comunicação pretende desconstruir noções preconceituosas acerca do que acontece aos mortos imigrantes e olhar a "gestão da morte", incluindo representações simbólicas bem como aspectos práticos, tais como os processos legais para repatriamento dos corpos. Esta análise será feita a partir dos dados de trabalho de campo com populações guineenses com base no trabalho com associações de imigrantes e com outras instituições envolvidas no processo-hospitais, agências funerárias, autoridades diplomáticas e de fronteira e instituições religiosas-e ainda no confronto com as percepções que os portugueses, como sujeitos em interacção no país de acolhimento, têm acerca da morte dos imigrantes.

26 de Março 2012

18:00 - 20:00
ISCTE-IUL, sala a designar

Valerio Simoni, CRIA-IUL

Intimate stereotypes: becoming caliente in touristic Cuba

Stereotypes about the caliente (‘hot') character of Cuban people circulate widely in the realm of tourism in Cuba. The supposedly unique sensuality and sexuality of the local population is also what contributes to lure tourists to this country, and has led scholars to relocate these stereotypes in large historical processes, most notably the colonial past of the island and the structural inequalities that resulted from it. Fewer studies, however, have explored the practical uses of these stereotypes in everyday interactions.
Grounded in nine months of participant observation of encounters between foreign tourist and Cuban people, the article focuses on such uses. After considering the contentious relationships between official discourses and everyday conversations on these stereotypes, the article explores how they are enacted in the course of interactions between tourists, Cuban people, and the ethnographer. Initially, an examination of the humorous and seductive uses of the caliente Cuban sheds light on its potential to capture the Other's attention and draw tourists and Cuban people together. While infusing their encounters with a playful and sensually charged atmosphere, this provocative stereotype also serves to foreshadow intimate relationships between the protagonists involved. Accordingly, it often leads to prescriptive exhortations to ‘let go', to forget moral concerns and indulge in the exceptional sensuality and sexuality of the Cuban Other. As such, this stereotype becomes a useful tool for tourists to justify controversial sexual engagements with Cuban people, and to solve moral and identity dilemmas.
Far from leading always to mutual benefits and shared understandings, intimate stereotypes also generate tensions that point to wider issues of (mis)trust and ambiguity in these confrontations with the Other. Key sources of conflict are tourists' allegations that because they simply enjoy sex, their Cuban partners do not require much compensation or long term commitment from them. Silencing Cuban people's aspirations to ameliorate economic conditions and migrate from the island via the tourist connection, these reductive readings of the stereotype overlook its power to act as a much more encompassing source of agency and identification for Cuban people, and its importance for their livelihoods and life projects.
What the ethnography reveals is that becoming caliente in touristic Cuba is double edged sword, which brings people together while redrawing lines of belonging and exclusion. By shedding light on both promises and risks in the uses of intimate stereotypes, the article uncovers the challenges of achieving ‘cultural intimacy' when ‘social intimacy' lags behind.

16 de Abril de 2012

Local a designar
Carla Sousa - CRIA, carlaasousa@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Museu do Traje: em busca de uma identidade "comunitária"

O Museu do Traje de S. Brás de Alportel aloja, entre os seus colaboradores o grupo dos Amigos do Museu. Este grupo, constituído por residentes estrangeiros, tem residência disseminada na região e organiza regularmente acontecimentos culturais no museu. O surgimento deste grupo, caso único na região, resulta de uma uma estratégia de integração comunitária que o Museu defende. Todavia o museu reserva a classificação de "comunidade" à sociedade onde se insere privilegiando a inserção local. A hegemonia local contrapõe-se assim à integração da "comunidade locoglobal", uma "rede de estrangeiros" que se diz "não turista" , mas com a qual a "comunidade local" tem uma interrelação pontual e residual. A pertença e a exclusão perpassam por discursos e práticas que traduzem um conflito latente. Objecto privilegiado na reflexão de identidades sociais, o Museu de S Brás traduz o cruzamento ou formas de habitar paralelas que na região se vivem. O paradigma comunitário fornece um instrumento de leitura para o paradoxo de uma co-habitação idealmente integrada mas sobreposta e paralela.

7 de Maio de 2012

FCSH-UNL, sala a designar
Marta Rosales - CRIA - FCSH-UNL, m.rosales@fcsh.unl.pt Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

"Portugal Village". Cultura material, consumos domésticos e negociações identitárias de uma comunidade portuguesa no Canadá

Nesta comunicação apresenta-se e discute-se parte dos resultados preliminares de uma investigação que tem como objecto de estudo as casas, a cultura material e as práticas de consumo doméstico de um grupo de famílias que integram a comunidade portuguesa de Toronto, no Canadá. Partindo-se do pressuposto teórico que afirma a centralidade das práticas de consumo e de relacionamento com a materialidade como um terreno significativo para a discussão dos processos migratórios contemporâneos, observar-se-ão como estas reflectem percursos e estratégias de integração no contexto canadiano, constituem um domínio expressivo relevante para o entendimento das suas especificidades enquanto migrantes, materializam as representações e os discursos sobre a origem e o Canadá e medeiam posicionamentos no quadro da comunidade migrante que integram.

28 de Maio de 2012

ISCTE-IUL, sala a designar
Rita Cachado CIES - ISCTE, ritacachado@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

As viagens de Manjula: Transnacionalidade e histórias de vida

Manjula nasceu em 1945. Emigrou três vezes. Da Índia para Moçambique, de Moçambique para Portugal, de Portugal para o Reino Unido. A sua história de vida é uma passagem por diferentes contextos políticos, desde o período final do colonialismo português; passando por uma guerra civil num país recém tornado independente (Moçambique); uma democracia recente com intenções multiculturais (Portugal); e um país com um estado social operando em áreas diversas, onde as comunidades sul-asiáticas vinham sendo instaladas (e integradas) desde o fim do Raj britânico.
A história de Manjula é semelhante a muitos outros hindus-gujaratis portugueses, cujos estudos foram em Portugal inaugurados por Susana Trovão e que têm sido desenvolvidos em diversos ramos da antropologia, contribuindo para o debate sobre a transnacionalidade e conceitos associados. Neste seminário, equacionarei questões metodológicas no âmbito da realização de uma história de vida que abarca, numa ordem necessariamente subjectiva, todos aqueles elementos e outros inesperados que o terreno recente trouxe.

Data a definir
Seminário a realizar no polo CRIA - UC, sala a designar
Vera Alves, vera.mmma@gmail.com Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

Renascimentos das "tradições nacionais" no século XXI: reexão em torno de alguns aspectos do caso português

Em Portugal, a primeira década do milénio testemunhou vários movimentos de renascimento das tradições populares. Nesta  comunicação pretendo apresentar alguns destes casos, e discutir factores que podem explicar tal "ressurreição". Neste âmbito, considerarei tal fenómeno enquanto reacção ao processo de globalização, propondo ao mesmo tempo um olhar atento às modalidades de redefinição simbólica da identidade nacional face às transformações que marcaram a percepção da modernização do país nas últimas décadas.

Lieux

  • Avenida de Berna, 26-C (FCSH-UNL)
    Lisbonne, Portugal

Dates

  • lundi 10 octobre 2011
  • lundi 24 octobre 2011
  • lundi 07 novembre 2011
  • lundi 21 novembre 2011
  • lundi 05 décembre 2011
  • lundi 09 janvier 2012
  • lundi 27 février 2012
  • lundi 05 mars 2012
  • lundi 26 mars 2012
  • lundi 16 avril 2012
  • lundi 28 mai 2012

Contacts

  • CRIA #
    courriel : cria [at] cria [dot] org [dot] pt

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Seminários CRIA (2011-2012) », Séminaire, Calenda, Publié le mardi 11 octobre 2011, http://calenda.org/205640