AccueilDiálogos juvenis. Diminuindo distâncias entre narradores e pesquisadores

*  *  *

Publié le mercredi 10 octobre 2012 par Marie Pellen

Résumé

O I Colóquio Internacional Diálogos Juvenis se propõe a promover uma articulação institucional entre Universidades, Instituições observatórios, núcleos e laboratórios que têm atuação no campo das juventudes, de modo a identificar as pluralidades de temas de pesquisas neste campo, articulando e fortalecendo uma rede das redes de pesquisa que visa potencializar estas iniciativas em nível teórico e metodológico. Neste sentido, pretende congregar pesquisadores, técnicos, alunos das universidades, professores e formar uma Rede de pesquisadores de juventudes, no intuito de fortalecer e ampliar as possibilidades de entendimento, expressão e visibilidade das pluralidades de ações juvenis.

Annonce

Apresentação

Entre os dias 05 e 08 de novembro de 2012, no Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza, será realizado o I Colóquio Diálogos Juvenis: Diminuindo distâncias entre Narrador-Pesquisador, uma iniciativa do Laboratório das Juventudes – LAJUS em parceria com o Núcleo de pesquisas sobre Sexualidade, Gênero e Subjetividade – NUSS e o Laboratório de Estudos da Violência – LEV, vinculados ao Departamento de Ciências Sociais e ao Programa de Pós Graduação em Sociologia – UFC. Além destas instituições, também estão envolvidos o Observatório Jovem da Universidade Federal Fluminense e o Observatório da Juventude da Universidade Federal de Minas Gerais. Ademais, contamos com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPQ e da Secretaria Nacional de Juventude da Presidência da República – SNJ.

No primeiro momento de criação do LAJUS, em março de 2012, promovemos mensalmente uma ação que se constituiu como broto para a construção deste Colóquio. Agenciamos alguns encontros temáticos entre narradores-chave e pesquisadores com o intuito de identificar meandros das ações de campo, a complexidade das experiências “empíricas”, intensidades e afetos que escapam da “artesania intelectual” e, fundamentalmente, os entrecruzamentos entre a polissemia dos discursos acadêmicos e as falas e percepções dos ditos narradores.

Identificamos a existência de alguns grupos de pesquisa na Universidade brasileira que articulam a investigação acadêmica com ações de extensão, produzindo conhecimentos e ao mesmo tempo subsidiando políticas públicas na área, contribuindo de forma significativa na sensibilização e em uma maior visibilidade das questões da juventude na agenda pública. Mas existe uma lacuna na problematização e aprofundamento de uma reflexão que articule as inter-relações entre a pesquisa acadêmica, as dinâmicas da juventude e o âmbito das políticas públicas.

Desse modo, o Colóquio se propõe a promover uma articulação institucional entre Universidades, Instituições observatórios, núcleos e laboratórios que têm atuação no campo das juventudes, de modo a identificar as pluralidades de temas de pesquisas neste campo, articulando e fortalecendo uma rede das redes de pesquisa que visa potencializar estas iniciativas em nível teórico e metodológico. Neste sentido, pretende congregar pesquisadores, técnicos, alunos das universidades, professores e formar uma Rede de pesquisadores de juventudes, no intuito de fortalecer e ampliar as possibilidades de entendimento, expressão e visibilidade das pluralidades de ações juvenis.

Essa iniciativa pretende fortalecer o papel ativo da Universidade no diálogo e intercessão com várias linhas do pensamento e do agir coletivo. De outro modo, para além da importância de transpor fronteiras acadêmicas, a Universidade experimentará com esse Colóquio a oportunidade de se deixar atravessar por uma pluralidade de juventudes e de potencializar a excelência das suas atividades de pesquisa, ensino e extensão.

Comitê Científico

  • Profª. Drª. Glória Maria dos Santos Diógenes – Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Professora Associada do Departamento de Ciências Sociais da UFC. Coordenadora do Laboratório das Juventudes – LAJUS/UFC. Prof. Dr. Cristian Saraiva Paiva – Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da UFC. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFC. Membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Sociologia – SBS. Coordenador do Núcleo de pesquisas sobre Sexualidade, Gênero e Subjetividade – NUSS/UFC.
  • Prof. Dr. Leonardo Damasceno de Sá – Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da UFC. Pesquisador do Laboratório de Estudos da Violência – LEV/UFC e do grupo de pesquisa do CNPq: Poder, Violência e Cidadania (UFC). Profª. Drª. Danyelle Nilin Gonçalves – Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Professora adjunta da UFC e membro de Laboratório de Pesquisas em Política e Cultura da UFC.
  • Profª. Drª. Geísa Mattos de Araújo Lima – Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFC. Atualmente coordena, com Irlys Barreira, a pesquisa “Cidade e Política: percepções a partir do discurso acadêmico”.
  • Profª. Drª. Rosemary Almeida – Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora do Departamento de Ciências Sociais e do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Sociedade da UECE. Atualmente coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Conflitualidade e Violência – COVIO.
  • Profª. Drª. Isaurora Martins de Freitas – Doutora em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA. Atualmente coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Culturas Juvenis – GEPECJU.
  • Prof. Dr. Antônio dos Santos Pinheiro – Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará. Professor Adjunto do Departamento de Ciências Sociais da URCA. Pesquisador dos grupos de pesquisa do CNPq: Direitos Humanos e Políticas de Segurança Pública (UECE), Poder, Violência e Cidadania (UFC) e Núcleo de Estudos Regionais (URCA) e do Laboratório de Estudos da Violência – LEV/UFC.
  • Prof. Dr. Paulo Carrano – Doutor em Educação pela Universidade Federal Fluminense. Professor Associado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense. Coordenador do Grupo de pesquisa Observatório Jovem do Rio de Janeiro /UFF.
  • Prof. Dr. Juarez Dayrell – Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Professor Associado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. Pesquisador Produtividade do CNPQ. Coordenador do Observatório da Juventude da UFMG.

Programação Geral

Dia 05 de novembro de 2012 (Segunda-feira)

18h – CERIMÔNIA DE ABERTURA

18h30min – CONFERÊNCIA DE ABERTURA

Aprendendo com os jovens a lidar com a sequencialidade: por uma metodologia interseccionista. Convidado: Professor José Machado Pais (ICS, Universidade de Lisboa). Mediador: Prof. Dr. César Barreira (UFC).

Dia 06 de novembro de 2012 (terça-feira)

09:00 – 12:00: Mesa – Juventude e produção do conhecimento: elementos para uma metodologia de trabalho com jovens.

Convidados: Prof. Dr. Juarez Dayrell (UFMG), Flávio Paiva (educador social), Profª. Drª. Elisa Guaraná (UFRRJ e SNJ) Elitiel Guedes (educador popular, membro da brigada nacional do MST Educação sem Fronteiras).

Mediador: Prof. Dr. Leonardo Sá (UFC).

14:00-17:00: Sessões dos Grupos de Trabalho

Dia 07 de novembro de 2012 (quarta-feira)

09:00 – 12:00: Mesa – Juventudes e Territorialidades: Diálogos de pesquisa com jovens e suas práticas espaciais.

Convidados: Prof. Dr. Paulo Carrano (UFF), Luciana Adriano (coordenadora do Grupo de Jongo do Bracuí), Profª. Drª. Norma Missae Takeuti (UFRN) e Fofo (MH2O).

Mediador: Prof. Dr. Cristian Paiva (UFC).

Dia 08 de novembro de 2012 (quinta-feira)

09:00 – 12:00:

Mesa – Juventudes e experimentações: tensões entre o instituído e o instituinte. Convidados: Profª. Drª. Regina Novaes (UFRJ), Profª. Drª. Glória Diógenes (UFC) e Felipe Rima (rapper, poeta e empreender social – E-JOVEM).

Mediadora: Profª. Drª. Geísa Matos (UFC).

14:00 – 17:00: Sessões dos Grupos de trabalho.

Conferencia de Abertura

Aprendendo com os jovens a lidar com a sequencialidade: por uma metodologia interseccionista

Pesquisando trajetórias de jovens – em suas sequências e descontinuidades – confrontamo-nos com um desafio metodológico: que estratégia seguir para melhor as apreender? Num estudo envolvendo jovens criadores de histórias aos quadrinhos aprendi com eles uma estratégia de investigação: avançando aos passos, incorporando achados inesperados, explorando sentidos submergidos (gutter). Passo a passo, de forma oblíqua e sequencial. Essa é a estratégia seguida na produção de HQ, não por acaso considerada uma arte sequencial, onde a decifração interpretativa passa por olhar, obliquamente, o avesso da cifração (closure/disclosure). Eis-nos perante uma reflexividade muita própria, de natureza interseccionista, entre quem pesquisa e é pesquisado: o campo dos saberes intersectando o dos fazeres; a construção teórica (interpretativa) cruzando-se com a aprendizagem do vivido (compreensiva).

Convidado: Professor José Machado Pais (ICS, Universidade de Lisboa). Mediador: Prof. Dr. César Barreira (UFC).

Mesas Redondas

MESA 1 – Juventude e produção do conhecimento: elementos para uma metodologia de trabalho com jovens.

Existem alguns grupos de pesquisa na Universidade brasileira que articulam a investigação acadêmica com ações de extensão, produzindo conhecimentos e ao mesmo tempo subsidiando políticas publicas na área, contribuindo de forma significativa na sensibilização e em uma maior visibilidade das questões da juventude na agenda pública. Mas existe uma lacuna na problematização e aprofundamento de uma reflexão que articule as inter-relações entre a pesquisa acadêmica, as dinâmicas da juventude e o âmbito das políticas publicas. Neste contexto, a comunicação se propõe a refletir sobre algumas das ações de pesquisa e extensão desenvolvidas pelo Observatório da Juventude da UFMG e outros grupos de pesquisa no Brasil, problematizando a articulação pesquisa e extensão, suas possibilidades e desafios e também o conhecimento produzido tanto na perspectiva dos jovens quanto do ponto de vista acadêmico. Convidados: Prof. Dr. Juarez Dayrell (UFMG), Flávio Paiva (educador social), Profª. Drª. Elisa Guaraná (UFRRJ e SNJ) Elitiel Guedes (educador social). Mediador: Prof. Dr. Leonardo Sá (UFC).

MESA 2 – Juventudes e Territorialidades: Diálogos de pesquisa com jovens e suas práticas espaciais.

Os jovens recebem “espaços prontos” e sobre eles realizam práticas – não necessariamente transformadoras – mas que passam a ser a extensão de seus próprios corpos. A mesa de diálogo entre pesquisadores e jovens narradores pretende tratar dos desafios teórico-metodológicos da investigação sócio-antropológica sobre a socialização de jovens considerando suas práticas espaciais. A territorialidade é compreendida em seu processo relacional entre corpos e espaços praticados e não apenas como unidade físico-geográfica. Pretende-se refletir sobre os dispositivos reguladores que se articulam aos territórios como forma de controle social juvenil, as relações que os jovens estabelecem com os espaços-tempos escolares, as práticas culturais juvenis e intergeracionais em espaços urbanos e rurais, os pertencimentos e ancoragens territoriais locais, assim como sobre a mobilidade espacial (migrações, mobilidades residenciais, deslocamentos cotidianos e constrangimentos ao livre trânsito dos corpos jovens). Enfim, pretende-se colocar em diálogo as dimensões territoriais individuais e coletivas que os jovens estabelecem o espaço. Convidados: Prof. Dr. Paulo Carrano (UFF), Luciana Adriano (coordenadora do Grupo de Jongo do Bracuí), Profª. Drª. Norma Missae Takeuti (UFRN) e Fofo (MH2O). Mediador: Prof. Dr. Cristian Paiva (UFC).

MESA 3 – Juventudes e experimentações: tensões entre o instituído e o instituinte.

A juventude, mais que qualquer outro segmento, é recorrentemente atravessada por tensões entre planos diversos de sociabilidade. Movimenta-se entre a casa e a rua, entre a escola e vivências extramuros, entre as políticas públicas de (para) juventudes e a força de coletivos que pouco penetram no campo das instituições. Observa-se distâncias entre quem pesquisa juventudes, quem faz parte da comunidade escolar, quem atua no âmbito das políticas públicas e práticas que parecem ocorrer em descompasso com essas esferas. Identifica-se, a partir desse cenário, vácuos de entendimento e uma dificuldade de decifração das lógicas de vivência e dos códigos que povoam e dão sentido não apenas às diversas atuações juvenis como também, ao universo de princípios que orientam ações no campo institucional. Diálogos pactuados entre signos comuns de identificação têm produzido algumas dissonâncias e dificultado o impacto desejado nas ações desenvolvidas no continente das experiências juvenis. O objetivo dessa mesa é discutir alguns desses desafios e tentar contribuir para ampliar linhas de aproximação e espaços de ação conjunta na esfera plural de atores que atuam, produzem, pesquisam e intervêm no amplo continente das juventudes.

Convidados: Profª. Drª. Regina Novaes (UFRJ), Profª. Drª. Glória Diógenes (UFC) e Felipe Rima (rapper, poeta e empreender social – E-JOVEM). Mediadora: Profª. Drª. Geiza Matos (UFC).

Grupos de trabalhos

GT 1 – JUVENTUDES, PROCESSOS EDUCATIVOS E TRABALHO

O GT receberá trabalhos que discutam os jovens nos diferentes espaços escolares e não escolares de educação, as políticas educacionais direcionadas à juventude na educação básica e ensino superior; as culturas juvenis na escola e em outros espaços de educação não formal e informal; reflexões sobre juventude, educação profissional e trabalho. Coordenadores: Profª. Drª. Danyelle Nilin Gonçalves (LEPEC, PPGS/UFC); Profª. Drª. Rosemary Almeida (COVIO, UECE); Manoel Moreira de Sousa Neto (Mestrando em Sociologia/UFC); Vanessa Goara (Licenciatura em Ciências Sociais/UFC).

GT 2 – JUVENTUDES E POLÍTICAS PÚBLICAS: SABERES E FAZERES

Imersos num cenário de mudanças cada vez mais profundas, os jovens contemporâneos protagonizam experiências e pertenças identitárias que desafiam as sociedades a pensar políticas específicas para atender-lhes as demandas geradas pelos contextos específicos em que se movimentam. No Brasil, a última década tem sido bastante significativa e rica no que se refere ao reconhecimento da juventude como sujeito/objeto de políticas públicas, de modo que inúmeras experiências têm sido geradas nas instâncias governamentais e na sociedade civil. Discutir os saberes e fazeres envolvidos nas políticas públicas de/para as juventudes no mundo contemporâneo constitui o objetivo central deste grupo de trabalho que pretende ser um espaço de interlocução entre quem pesquisa e/ou pensa políticas públicas para este segmento específico da população.

Coordenadores: Profª. Drª. Isaurora Martins de Freitas (UVA/GEPECJU), Profª. Drª. Celecina de Maria Veras Sales (PPGE/UFC) e Natália Ilka (LEV/UFC, LAJUS/UFC) e Alexsandra Sousa (mestranda em Psicologia Social -UFC, membro do Núcleo de Psicologia Comunitária – NUCOM e pesquisadora do LAJUS).

GT 3 – JUVENTUDES, CIDADE E VIOLÊNCIA

Nos dias atuais, a juventude tem sido tematizada como alvo preferencial das discussões em relação às políticas públicas, dos conflitos territoriais decorrentes da violência e do tráfico de drogas. O objetivo do GT é compreender o debate em torno da violência e dos conflitos sociais envolvendo jovens em grupos armados, tráfico de drogas e outras práticas criminosas na cidade. Algumas questões nortearão o GT: Que experiências marcam a sociabilidade juvenil em diferentes territórios e espaços sociais? Como, a partir das suas sociabilidades os jovens estabelecem relações conflituosas com outros grupos? Que territorialidades e mapas emergem das experiências juvenis? Que formas de sociabilidade e modalidades de socialização podem ser verificadas nos espaços das cidades? Estas questões têm afirmado um campo próprio de interesse acadêmico – a sociologia da juventude – para compreensão da sociabilidade juvenil contemporânea e vem indicando um conjunto de elementos para intervenções das políticas públicas de inclusão social e prevenção a violência e aos conflitos juvenis. Coordenadores: Prof. Dr. Leonardo Sá (PPGS/UFC, pesquisador do LEV/UFC), Prof. Dr. Antônio dos Santos Pinheiro (URCA, pesquisador do LEV/UFC), Mara Carneiro (mestranda em Sociologia – UFC, pesquisadora do LAJUS/UFC e do LEV/UFC), Tiago Araujo (graduando em Ciências Sociais – UFC, pesquisador do LAJUS);

GT 4 – JUVENTUDES, PRÁTICAS POLÍTICAS E CULTURAIS NA PERIFERIA.

A diversidade atual das práticas e perspectivas nas organizações locais nos bairros de periferia traz como peculiaridade – não observada nas décadas de 1980 e 1990 – a forte presença de lideranças jovens. Foram formadas por “projetos” que, a partir da criação do Estatuto da Criança e do Adolescente, passaram a ser bancados pelo poder público e/ou por organizações não governamentais. Nos últimos 20 anos, estes “projetos” tem sido incentivados como o antídoto contra a violência e a criminalidade no Brasil. Como os líderes formados nestes “projetos” se relacionam com as formas de criminalidade existentes nestes bairros? Quais as características da sua atuação política? Quais as linguagens utilizadas pelos “projetos” na formação dessas lideranças juvenis? De que forma as biografias de vida desses jovens se articulam as experiências coletivas dos mesmos, seja na família, na escola ou no bairro? Queremos receber trabalhos que reflitam sobre a experiência nos “projetos”, o papel dos educadores, a militância em partidos políticos, associações e outros movimentos e de quais formas estes tem impactado nas trajetórias dos jovens da periferia, em termos políticos, econômicos, culturais e afetivos. Coordenadores: Profª. Drª. Geisa Matos (PPGS/UFC, pesquisadora do LEPEC), Abda Medeiros (Antropóloga, professora universitária, doutoranda em Sociologia/UFC e pesquisadora do LAJUS), João Miguel (mestrando em Sociologia – UFC, pesquisador do LEPEC/UFC); Igor Monteiro (doutorando em Sociologia – UFC, pesquisador do LEV), Rafael Silveira (graduando em Ciências Sociais – UFC, pesquisador do LAJUS);

GT 5 – SEXUALIDADES E AFETIVIDADES JUVENIS: SUBJETIVIDADES EM MOVIMENTO.

A proposta deste GT é promover um coletivo de pesquisadores e reflexões que agregue debates e discussões sobre pesquisas e experiências produtoras da interface da juventude com os conceitos de gênero, sexualidade e afetividade. Para tanto, iremos acolher trabalhos que reflitam sobre as subjetividades em movimento, dando destaque a temas relativos a cartografias sentimentais, cidadania sexual, direitos sexuais e reprodutivos, mapas afetivos, roteiros sexuais, liminariedades e vulnerabilidades no contexto de práticas sexuais dissidentes, identidades, politícas e cidadania LGBT Coordenadores: Prof. Dr. Cristian Paiva (NUSS, PPGS/UFC), Camila Holanda (Professora Universitária. Doutora em Sociologia e pesquisadora do LEV/UFC e LAJUS/UFC) e Marcelle Silva (graduanda em Ciência sociais e pesquisadora do NUSS/UFC).

Comitê Organizacional

Coordenação Geral

Glória Maria dos Santos Diógenes

Secretaria Executiva

Natália Ilka Morais Nascimento

Comissão Acadêmica

  • Camila Holanda Marinho – Coordenação
  • Eliakim Lucena de Andrade
  • Marcelle Silva
  • Stephanie Ribeiro
  • Alexsandra Maria Sousa Silva
  • João Pedro Santiago

Comissão de Comunicação

  • Rafael Silveira – Coordenação
  • Neivânia Rodrigues Raoni Marques
  • Kelly Matos

Lieux

  • Universidade Federal do Ceará - Rua Dragão do Mar 81, Praia de Iracema, Fortaleza
    Fortaleza, Brésil (60060-390)

Dates

  • lundi 05 novembre 2012
  • mardi 06 novembre 2012
  • mercredi 07 novembre 2012
  • jeudi 08 novembre 2012

Contacts

  • Colóquio Diálogos Juvenis Laboratório da Juventude
    courriel : coloquio [dot] dialogosjuvenis [at] gmail [dot] com

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Diálogos juvenis. Diminuindo distâncias entre narradores e pesquisadores », Colloque, Calenda, Publié le mercredi 10 octobre 2012, http://calenda.org/222257