AccueilDeficiência e emancipação social: para uma crise da normalidade

*  *  *

Publié le lundi 05 novembre 2012 par Marie Pellen

Résumé

Este projecto, intentando contribuir para um questionamento cultural e sociopolítico do campo da deficiência, um campo cujas explorações no meio académicas são ainda embrionárias em Portugal, procurará articular-se com as temáticas que noutros países vêm sedimentando a área dos Disability Studies. Neste campo de estudo tem estado em causa, fundamentalmente, o confronto entre uma concepção fatalista de deficiência, culturalmente dominante, que enfatiza as incapacidades funcionais individuais, naturalizando a exclusão e, por outro, uma crítica social que denuncia a exclusão social das pessoas com deficiência enquanto produto de condições estruturais de opressão social.

Annonce

13 de novembro de 2012


Auditório do Centro de Informação Urbana de Lisboa, Picoas Plaza, Rua do Viriato, 13

Espaço acessível | Tradução simultânea | Intérprete de Língua Gestual

Organização:

Projeto "Da lesão vértebro-medular à inclusão social: a deficiência enquanto desafio pessoal e sociopolítico"

As pessoas com deficiência vivem na nossa sociedade numa flagrante situação de exclusão num contexto social opressivo das suas especificidades. Apesar de sucessivas propostas legislativas e do continuado desenho de políticas sociais, elaboradas no propalado desígnio de conduzir a uma inclusão social deste grupo particularmente vulnerável, a realidade social vem dando prova de uma tenaz perpetuação deste quadro excludente. Este facto é tanto mais premente quanto sabemos, segundo dados dos censos de 2001, que existem em Portugal 636 059 pessoas com deficiência, o que corresponde a 6, 1 % da população.

Este projecto, intentando contribuir para um questionamento cultural e sociopolítico do campo da deficiência, um campo cujas explorações no meio académicas são ainda embrionárias em Portugal, procurará articular-se com as temáticas que noutros países vêm sedimentando a área dos Disability Studies. Neste campo de estudo tem estado em causa, fundamentalmente, o confronto entre uma concepção fatalista de deficiência, culturalmente dominante, que enfatiza as incapacidades funcionais individuais, naturalizando a exclusão e, por outro, uma crítica social que denuncia a exclusão social das pessoas com deficiência enquanto produto de condições estruturais de opressão social.

A proposta de trabalho visa concretamente uma exploração analítica dos percursos biográficos das pessoas que viram as suas vidas marcadas por uma lesão medular e, simultaneamente, das respostas institucionais e sociais a estas pessoas. A lesão medular tem como implicações físicas mais comuns e evidentes a paraplegia (perda de mobilidade e/ou sensibilidade ao nível dos membros superiores), a tetraplegia (perda de mobilidade e/ou sensibilidade nos quatro membros) e, eventualmente, outras disfunções orgânicas.
Programa

09h00 – Sessão de Abertura | Pedro Hespanha (CES), Representante do INR

9h30 | 1º Painel

9h30 – 10h10h | Da lesão vertebro-medular à inclusão social

  • Aleksandra Berg (CES),
  • Bruno Sena Martins (CES),
  • Fernando Fontes (CES)

10h10 – 10h40 | Comentários |

  • Filipa Faria (Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão)
  • Paulo Margalho  (Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro-Rovisco Pais)
  • Arminda Lopes  (Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul)

10h40 – 11h00 – Debate

11h00 – 11h15 – Pausa para café

11h15 | 2º Painel

11h15 – 11h45 | Re-thinking disability, work and welfare

  • Colin Barnes (Universidade de Leeds - UK)

11h45h – 12h05  Comentários Representante da  Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal Eduardo Jorge (União Deficiente Fórum)

12h05 – Debate

12h30 – 14h00 Pausa para almoço

14h00 | 3º Painel

14h00 – 14h30 – A Disability Studies for the ‘Age of Austerity’

  • Allison Sheldon (Universidade de Leeds -UK)

14h30 – 14h50 - Comentários

  • Luís Machado (Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados no Trabalho)
  • José Arruda (Associação dos Deficientes das Forças Armadas)

14h50 – 15h15 | Debate

15h15h – 15h30h – Pausa para café

15h30 | 4º Painel

15h30 – 16h00 -  The End of Normal: Disability and Diversity

  • Lennard Davis

16h00 – 16h20 - Comentários

  • Humberto Santos (Associação Portuguesa de Deficientes)
  • Paulo Garcia (Federação Portuguesa das Associações de Surdos)

16h20 – 16h45 – Debate

16h45 – Comentário final e encerramento Pedro Hespanha, Bruno Sena Martins e Fernando Fontes (CES)

Catégories

Lieux

  • Auditório do Centro de Informação Urbana de Lisboa - Picoas Plaza, Rua do Viriato, 13
    Lisbonne, Portugal (1050-227)

Dates

  • mardi 13 novembre 2012

Contacts

  • CES - Lisboa
    courriel : ceslx [at] ces [dot] uc [dot] pt

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Deficiência e emancipação social: para uma crise da normalidade », Journée d'étude, Calenda, Publié le lundi 05 novembre 2012, http://calenda.org/227635