AccueilConversas urbanas

*  *  *

Publié le lundi 10 décembre 2012 par Marie Pellen

Résumé

As Conversas Urbanas juntam doutorandos, investigadores, e docentes de uma variedade de disciplinas para discutir investigação sobre cidades, cultura, e arquitetura, num âmbito cronológico e geográfico abrangente. Este ciclo é organizado pelo Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitetura (CCArq). As cidades, o urbanismo e a arquitetura, bem como as reflexões sobre os patrimónios e as culturas que lhes estão associadas constituem o objeto plural deste núcleo do CES. Centrado nas mais recentes questões e dinâmicas socioculturais urbanas, o trabalho que aqui se alberga convida ao desenvolvimento de um corpus teórico e metodológico criativo e interdisciplinar, com vista a oferecer respostas concretas a problemas reais, nacionais e internacionais.

Annonce

Apresentação

As Conversas Urbanas juntam doutorandos, investigadores, e docentes de uma variedade de disciplinas para discutir investigação sobre cidades, cultura, e arquitetura, num âmbito cronológico e geográfico abrangente.

Este ciclo é organizado pelo Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitetura (CCArq).

As cidades, o urbanismo e a arquitetura, bem como as reflexões sobre os patrimónios e as culturas que lhes estão associadas constituem o objeto plural deste núcleo do CES. Centrado nas mais recentes questões e dinâmicas socioculturais urbanas, o trabalho que aqui se alberga convida ao desenvolvimento de um corpus teórico e metodológico criativo e interdisciplinar, com vista a oferecer respostas concretas a problemas reais, nacionais e internacionais. Pretende-se cruzar e recombinar perspetivas sócio-antropológicas, artísticas e culturais, da arquitetura, da organização, dos usos e da imagem do espaço das cidades na análise dos estilos de vida urbanos e das modalidades de resistência, das condições socioeconómicas dos residentes, dos impactos do turismo e de afirmação das expressões culturais e da governação democrática das cidades. Estudos no âmbito da teoria e da história da arquitetura e da história da construção que possam afirmar-se como contributo para perspetivações de ordem transdisciplinar, em conjugação com outras áreas do saber, são enquadrados e desenvolvidos no núcleo.

Para obter cópias das leituras sugeridas ou para obter informação adicional, por favor enviar email para tcastela@ces.uc.pt

Nota: Atividade no âmbito do Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitetura (CCArq), do Programa de Doutoramento "Cidades e Culturas Urbanas"e Programa de Doutoramento em Arquitetura - Cultura Arquitetónica e Urbana do DARQ.

Programa

17 de Abril 2012

| 18H00 | Cafetaria do Museu da Ciência da UC

CIDADES INTENSAS: O PAPEL DA ARQUITETURA NA DENSIFICAÇÃO DOS CENTROS

A cidade contemporânea desdensifica-se e estende-se indefinida e incessantemente pelo território, provocando, desde a década de 60 do século XX, o esvaziamento dos centros urbanos e a degradação, ou o fim, da  cidade compacta. A investigação em Arquitectura tem, por um lado, estudado intervenções pontuais e segregadas de densificação urbana através da qualificação arquitectónica dos espaços centrais, sem as agregar nos propósitos e sem as considerar em sistema, e, por outro lado, estudado aprofundadamente a dispersão suburbana, como fenómeno extensivo sob o ponto de vista da escala, inevitável, sob o ponto de vista da gestão do território, e motivador, sob o
ponto de vista cultural. Neste sentido, pretende-se conversar sobre o papel da arquitectura na requalificação e redensificação do espaço urbano central, um papel que alterna entre a manutenção das suas qualidades ancestrais e a renovação das possibilidades de uso, entre o restauro e a construção  ex-novo, mas que se insinua, contudo, como a única possibilidade de sobrevivência contemporânea desses mesmos centros.

Moderadores: José António Bandeirinha, Jorge Figueira e Gonçalo Canto Moniz

José António Bandeirinha (Coimbra, 1958) é arquitecto pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto (1983). Exerce profissionalmente e é professor associado do Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, onde se doutorou em 2002 com uma dissertação intitulada O Processo SAAL e a Arquitectura no 25 de Abril de 1974. Tomando como referência central a arquitectura e a organização do espaço, tem vindo a dedicar-se ao estudo de diversos temas — cidade, teatro, cultura. É investigador do Centro de Estudos Sociais. É Director do Colégio das Artes da Universidade de Coimbra.

Jorge Figueira é licenciado em Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, 1992. É Doutorado em Arquitectura, especialidade Teoria e História, pela Universidade de Coimbra, 2009. Lecciona no Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e no Programa de Doutoramento em Arquitectura da FAUP. É coordenador editorial do serviço de edições do Departamento de Arquitectura da FCTUC, Universidade de Coimbra.

Gonçalo Canto Moniz (Porto, 1971) é investigador e co-cordenador do Núcleo Cidades, Culturas e Arquitectura (CCArq) do Centro de Estudos Sociais da UC. Licenciado em Arquitectura em 1995 no Departamento de Arquitectura da FCTUC, onde é assistente de Projecto desde 1995 e membro da Comissão Editorial da e|d|arq. Doutorado pela Universidade de Coimbra com a tese “O Ensino Moderno da Arquitectura. A Reforma de 57 e as Escolas de Belas Artes em Portugal (1931-69)” em 2011. Tem investigado e publicado sobre a Arquitectura Moderna em Portugal, nomeadamente sobre os equipamentos liceais e o ensino da arquitectura, sendo autor do livro "Arquitectura e Instrução: o projecto moderno do liceu, 1836-1936" (e|d|arq, 2007).

15 de Maio 2012

| 18h00 | Cafetaria do Museu da Ciência da UC

ABORDAGENS AO DESENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO NO ESPAÇO URBANO

Esta sessão pretende abordar diferentes perspetivas relativamente ao uso da prática artística para fomentar a participação dos jovens nas comunidades. A intenção é dar a conhecer e refletir sobre exemplos de modelos inovadores e inclusivos de participação juvenil, discutindo de que modo estes exemplos podem propor novas formas de pensar a cidadania e a democracia na atualidade. A moderadora irá introduzir o tema a partir de textos das investigadoras em Educação Sarah Bragg, Helen Manchester e Anne Harris, baseadas no Reino Unido e na Austrália, assim como num recente artigo seu sobre a prática artística para uma cidadania criativa.

Moderadora: Cláudia Pato

Cláudia Pato de Carvalho é investigadora de pós-doutoramento no Centro de Estudos Sociais no âmbito do projeto Artéria 7: O Centro em movimento, projecto de investigação-ação em colaboração com O Teatrão (Oficina Municipal do Teatro, Coimbra)e que visa criar projetos artísticos de intervenção em várias cidades da região centro.

Completou o Doutoramento em Sociologia, especialização em Sociologia da Cultura, do Conhecimento e da Comunicação, pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, em Outubro de 2010.O trabalho empírico de doutoramento intitulado The Creative Citizen: Citizenship Building in the Boston Area (que compreende três estudos de caso nas comunidades urbanas de Jamaica Plain, South End e Somerville, em Boston) foi realizado no Center for Reflective Community Practice (agora Commmunity Innovators Lab, Departamento de Estudos Urbanos do Massachussets Institute of Technology). Este trabalho de investigação
dedicou-se, por um lado, a tentar compreender as diferentes formas através das quais a cultura e as práticas culturais podem promover a revivificação social, económica e cultural dos espaços urbanos, dando origem à criação de novas cidadanias. Por outro lado, pretendeu identificar estratégias de envolvimento comunitário através das actividades culturais e artísticas.

Coordena o projecto Bando à Parte: Culturas Juvenis, Arte e Inserção Social, um projecto
de formação artística a decorrer no Teatrão (Oficina Municipal do Teatro) em Coimbra, desde Setembro de 2009.

5 de Junho 2012

| 18h00 | Cafetaria do Museu da Ciência da UC

‘BELOW THE SURFACE’: USO E REFUNCIONALIZAÇÃO POÉTICA DO ESPAÇO NA EXPERIÊNCIA ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA

Diferentes formações artísticas do séc. XX, fosse na época cultural do Modernismo ou no desenlace pós-modernista, relacionaram-se com a Arquitetura e inquiriram as suas aspirações programáticas assim como os seus resultados. A cultura arquitetónica, a organização inteligível e logocêntrica do espaço, tem sido objeto de frequentes ‘repérages’, "re-tematizações" e "des-figurações" por parte de diferentes e por vezes antagónicas poéticas e configurações processuais da Arte Contemporânea.

Nesta sessão propomo-nos refletir sobre esse epifenómeno, quer de um ponto de vista teórico quer na relação entre ideias sobre modos de produção espacial e formas particulares de construção imagética. O nosso ponto de partida será a percepção generalizada entre muitos artistas visuais (e.g., de Naum Gabo a Dan Graham, de Kurt Schwitters a Charles Simmonds, de Constant Niuwenhuis a Ilya Kabakov) de que a arquitetura funciona como uma mnemotécnica do humano, e especificamente  propomos discutir como esse conceito tem produzido "imagens fortes" e contribuído no campo artístico para a materialização de poéticas ligadas à relação entre indivíduo/espaço através de um espectro alargado de iniciativas processuais e de objetos tais como vídeos, protótipos, construções, fotografias, desenhos, pinturas, instalações e arquiteturas de papel.

Moderadores: António Olaio e Pedro Pousada

António Olaio, artista plástico, professor auxiliar de nomeação definitiva do Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Exposições individuais em Coimbra, Lisboa, Porto, Guimarães, Mallorca, Nova Iorque, Berlim, Frankfurt. Enquanto investigador explora as potencialidades conceptuais da arte enquanto objecto e instrumento de reflexão, nomeadamente nas relações entre o indivíduo e o espaço, entre a
experiência plástica e a arquitectura. Das suas publicações são de salientar os livros “I think differently, now that I can paint” que desvenda a latitude da sua intervenção conceptual enquanto artista plástico e “Ser um indivíduo chez Marcel Duchamp” que, através da obra deste artista, sublinha a obra de arte enquanto produção de pensamento.

Pedro Pousada (1970), Artista Plástico. Professor Auxiliar no Departamento de Arquitectura da FCTUC e no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, concluiu o Curso Superior de Artes Plásticas/Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa em 1993. Frequentou em 1995 um estágio de pintura na École Nationale Supérieure des Beaux-Arts de Paris, tendo sido aluno do pintor Vladimir Velicovick. Foi professor do Ensino Básico e Secundário na área da Grande Lisboa no período de 1996-1999. Assistente de Desenho no
Departamento de Arquitectura da FCTUC, onde lecciona desde 1999. É responsável pela disciplina de Desenho I, leccionando igualmente na Disciplina de Desenho II do MIA e na disciplina de Arte e Cultura moderna da LDM (Licenciatura em Design Multimedia). Em 2002 apresentou a sua dissertação de Mestrado, Jorge Pinheiro:Superação e continuidade na imagem moderna, tendo prestado as respectivas provas na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Investigador do CES (Centro de estudos sociais da Universidade de Coimbra), a sua actividade científica tem estado sobretudo ligada às relações entre modernidade artística e cultura arquitectónica no séc. XX.

4 de Setembro 2012

| 18h00 | Cafetaria do Museu da Ciência da UC

REVELANDO ESPAÇOS PÚBLICOS DA CIDADE: SONORIDADES URBANAS

No princípio, a cidade começou por esquecer as sonoridades pré-urbanas. Criou, aos poucos os seus próprios sons, que hoje se misturam numa obscura cacofonia. É o som da cidade a que não podemos escapar. Quando o procuramos fazer, e os corpos se escondem atrás do ‘walkman’, cultivamos um sinistro urbanicídio. As ciências sociais e humanas não podem continuar a ignorar o som da cidade nem quanto dele é feito de musicalidade e se confunde com o silêncio. Na musicidade, a “mobília musical” que impera em tantos espaços públicos de hoje, pode revelar-se tanto a rebeldia como a integração social. Como pensar políticas públicas para a musicidade se não quisermos escutá-la e dar-lhe sentido?

Moderador: Carlos Fortuna

Ph.D. em Sociologia (State University of New York – Binghamton - 1989), é Professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Investigador Permanente do Centro de Estudos Sociais. Coordenador científico dos Programas de Mestrado e Doutoramento em "Cidades e Culturas Urbanas".
Áreas de interesse: Culturas urbanas; Turismo, patrimónios e memórias; Identidades e imagens das cidades.
É autor de vários livros e a sua publicação mais recente é “Simmel: A Estética e a Cidade" (Coimbra, Imprensa da Universidade,2010)(Org.).

16 de Outubro 2012

| 18H00 |  Cafetaria do Museu da Ciência da UC

HUMAN RIGHTS IN CITIES AND CITIES IN HUMAN RIGHTS: THE CASE OF BARCELONA AND MIGRATION

How do cities translate and implement human rights? What role do cities have within a larger multi-level governance of human rights? Our urban conversation will be guided by these two questions, which the moderator has already begun to answer in a series of papers. The case of Barcelona human rights policy and how the city’s local services intervene on issues affecting migrants, especially discrimination and religious freedom, will be presented to the audience as a starting point for further discussion and shared reflections.

Moderador: Michele Grigolo

Michele Grigolo é pós-doutorando no CES, com bolsa de pós-doutoramento atribuída pela FCT. Possui o Doutoramento em Ciências Sociais e Políticas, obtido no Instituto Universitário Europeu (IUE), de Florença, e o Mestrado Europeu em Direitos Humanos e Democratização. Os seus interesses de investigação e ensino incluem: política, sociologia e direito de igualdade, não discriminação e dos direitos humanos, assim como políticas sociais e urbanas. No CES, Michele Grigolo está, actualmente, a produzir artigos científicos e a sua primeira monografia baseada na sua investigação de doutoramento sobre direitos humanos e cidades. Conta com artigos publicados no European Journal of International Law, no International Journal of Human Rights e no Ethnic and Racial Studies, para o qual co-editou o número especial de outubro 2011. E 'co-editor de um livro sobre raça e discriminação (Routledge, 2012) e está a preparar uma monografia sobre direitos humanos e cidades.

Michele Grigolo possui uma experiência de investigação internacional. Em 2010, foi investigador convidado no Instituto de Governo e Políticas Públicas da Universidade Autónoma de Barcelona. Durante o doutoramento, foi aluno de intercâmbio na Escola de Função Pública Robert Wagner, em Nova Iorque. Em 2003, recebeu a Bolsa Robert Schuman do Parlamento Europeu, tendo estudado na Direcção-Geral da Investigação, no Luxemburgo. Em 2002, passou cinco meses no Centro de Direitos Humanos Dinamarquês para concluir a tese de mestrado.

É investigador e professor. Entre 2008 e 2009, foi colaborador científico no Programa Max Weber do IUE. Em 2009, colaborou num projecto de investigação financiado pelo Parlamento Europeu sobre a integração (mainstreaming) de direitos humanos nas relações externas da UE. Anteriormente, trabalhou num projecto financiado pelo Conselho das Regiões da UE sobre os governos locais e regionais. Leccionou a cadeira Política Social Europeia no Programa de Mestrado em Estudos Europeus da Universidade James Madison, em Florença. Participou em palestras e seminários em universidades italianas e espanholas.

13 de Novembro de 2012

18h00, Cafetaria do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra

O Mapa Precede o Território?

Em 1999, James Corner publicou um capítulo com o título “The Agency of Mapping: Speculation, Critique and Invention”, na colectânea de Denis Cosgrove Mappings. Nesse texto chama a atenção para o carácter mutável e dinâmico do território, para a decorrente mutação nos mapeamentos entre um registo físico de objetos e formas para um registo dos variados processos que confluem no espaço (territoriais, políticos, psicológicos, sociais): "The interrelationships amongst things in space, as well as the effects that are produced through such dynamic interactions, are becoming of greater significance for intervening in urban landscapes than the solely compositional arrangements of objects and surfaces", concluindo que "o mapa precede o território". As ideias de Corner, da máxima importância para o projeto urbano e de arquitetura, serão confrontadas com o texto de 1941 de Maurice Halbwachs La Topographie Légendaire des Évangiles en Terre Sainte: Étude de Mémoire Collective, texto seminal nas teorias da cidade de Aldo Rossi.

Moderador: Paulo Providência

Paulo Providência é licenciado pela FAUP em 1988, Doutor pela Universidade de Coimbra em 2007. Docente de Projecto no DARQ-FCTUC, tem orientado Provas de Final de Licenciatura e Dissertação de Mestrado Integrado. As suas áreas de interesse são o século XIX e a arquitectura contemporânea. Pensar o projecto arquitectónico como meio de expressão leva à reflexão sobre os seus métodos e práticas. De forma complementar às reflexões teorizantes, mantem prática de projecto de arquitectura.

11 de Dezembro 2012

| 18H00 | Casa de Chá do Jadim Botánico

BUILDING MORE 'CULTURAL' SUSTAINABLE COMMUNITIES

Despite the growing movement to think about sustainability in a more holistic manner, and the emergence of a four pillar model of sustainability internationally (comprising environment responsibility, economic health, social equity, and cultural vitality), the inclusion of culture in public policy on sustainability is challenging. At the local level internationally, a multitude of regional and local initiatives to include culture in local sustainability planning and action reflect a paradigm-shift-in-process, progressively advancing through a wide range of varied and experimental initiatives, and rooted in a pervasive concern for grassroots public participation. How can local communities integrate cultural dimensions into local sustainability? How can more holistic visions of locality, incorporating cultural dimensions, help expand conceptions about ‘sustainable cities’? How can culture be positioned as an agent in community resiliency and transition? What pathways might be useful to integrate the arts (and broader cultural dimensions) in this work? What might be done in Coimbra?

Moderadora: Nancy Duxbury

Nancy Duxbury é investigadora doutorada e integra o “Núcleo de Estudos sobre Cidades, Culturas e Arquitectura” do CES. A sua investigação incide sobre cultura e sustentabilidade, centrando-se nas práticas de planeamento cultural das cidades Europeias e soluções de integração cultural no âmbito de iniciativas de sustentabilidade urbanas.

Também é Adjunct Professor no Centro de Estudos de Políticas de Cultura e Comunidades e na Faculdade de Comunicação da Universidade Simon Fraser, Vancouver, Canada. Entre Setembro de 2005 e o Outono de 2008 foi Directora Executiva do Centro de Especialização em Cultura e Comunidades, uma reconhecida instituição ao nível da pesquisa e redes de
investigação no que respeita a planeamento cultural e infra-estruturas culturais em cidades e comunidades Canadianas.

Foi membro da Comissão Cultural Regional Metro Vancouver, do Conselho Consultivo do Observatório Cultural Canadiano e da Comissão Consultiva em Estatística Cultural do Canada. Doutorada em Comunicação e mestre em Publicação pela Universidade Simon Fraser. A sua
investigação tem avaliado o envolvimento municipal no que respeita ao desenvolvimento cultural, infra-estruturas culturais, indicadores culturais, cultura e sustentabilidade, política cultural canadiana e a indústria da publicação canadiana.

 

Lieux

  • CES - Colégio de S. Jerónimo
    Coimbra, Portugal (3000-995)

Dates

  • mardi 17 avril 2012
  • mardi 15 mai 2012
  • mardi 05 juin 2012
  • mardi 04 septembre 2012
  • mardi 16 octobre 2012
  • mardi 13 novembre 2012
  • mardi 11 décembre 2012

Contacts

  • Tiago Castela
    courriel : tcastela [at] ces [dot] uc [dot] pt

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Conversas urbanas », Cycle de conférences, Calenda, Publié le lundi 10 décembre 2012, http://calenda.org/227685