AccueilGender workshop series III

*  *  *

Publié le vendredi 07 décembre 2012 par Marie Pellen

Résumé

Este ciclo, que entra na sua terceira edição, pretende debater questões relacionadas com a construção social de identidades sexuais e temáticas de índole feminista  em diferentes contextos sócio-políticos e culturais, privilegiando o diálogo interdisciplinar e entre as mais variadas áreas de investigação. Em cada sessão, um/a convidado/a apresenta e discute um tema que considera importante para a sua área de estudo, cruzando-o com a sua própria investigação ou atividade profissional e cívica. Esta apresentação baseia-se, em geral, em textos ou outros meios de reflexão disponibilizados previamente. Segue-se um debate com o público.

Annonce

Apresentação

Este ciclo, que entra na sua terceira edição, pretende debater questões relacionadas com a construção social de identidades sexuais e temáticas de índole feminista  em diferentes contextos sócio-políticos e culturais, privilegiando o diálogo interdisciplinar e entre as mais variadas áreas de investigação. Em cada sessão, um/a convidado/a apresenta e discute um tema que considera importante para a sua área de estudo, cruzando-o com a sua própria investigação ou atividade profissional e cívica. Esta apresentação baseia-se, em geral, em textos ou outros meios de reflexão disponibilizados previamente. Segue-se um debate com o público.

Organização:

Júlia Garraio (NHUMEP), Catarina Martins (NHUMEP), Teresa Cunha (NHUMEP), Mihaela Mihai (DECIDe).

Programa

27 de setembro de 2012

17h00 | Sala 2 | CES-Coimbra

Human rights and women: a view from the city

Michele Grigolo (CES)

25 de outubro de 2012

Sala 2 | CES-Coimbra

Disciplinas do feminino

Maria José Canelo (CES)

20 de novembro de 2012

17h00 | Sala 2 | CES-Coimbra

Estórias e História. A Literatura e os feminismos africanos entre colonialismo e pós-colonialismo. Estratégias de construção, afirmação, reação, inscrição

Catarina Martins (CES/FLUC)

Resumo
A proposta de um conto e, especificamente, do conto “The headstrong historian” da escritora nigeriana Chimamanda Nogozi Adichie num fórum como o Gender Workshop deve-se a várias ordens de razão. Em primeiro lugar, ao introduzir a literatura, de forma quase insidiosa, num contexto em que se desenvolve ciência e se debate a partir de artigos e discursos científicos, e no qual, quando muito, a literatura é explorada numa perspectiva documental, venho reclamar o lugar do texto literário, na sua especificidade, e do aparelho conceptual e metodológico próprio dos estudos literários nas discussões, não somente sobre questões relativas às mulheres, mas também sobre as formas de exercício do pensamento e do activismo feministas, da mesma maneira que a autora provoca a História com a sua estória.
Em segundo lugar, a escolha deste texto deve-se ao facto de Adichie não escrever apenas, em “The headstrong Historian”, um conto que considero esteticamente muito belo, como sobretudo ao facto de desenvolver concomitantemente o que leio como uma condensada tese feminista, em forma de narrativa, sobre uma série de problemáticas essenciais e recorrentes que interpelam as mulheres africanas e aquelas que sobre elas trabalham, no cruzamento da crítica feminista e pós-colonial. Convido, pois, à leitura de “The headstrong historian” e à descoberta destas questões feministas, pós-coloniais, metodológicas e estéticas (ou estético-metodológicas), através do fio narrativo, mas também fortemente reflexivo, analítico, crítico e provocador, sabiamente construído por Adichie. Neste sentido, a sessão não terá um formato expositivo, mas sim de exploração colectiva do texto e da diversa ordem de problemas que suscita.

Nota: O livro de contos “The thing around your neck” (2009), em que se insere “The headstrong historian” foi traduzido para português com o título “A coisa à volta do teu pescoço” e recentemente publicado pela Editora D. Quixote (2012).

Quem desejar participar e ler previamente o conto em discussão deverá enviar um e-mail para gw@ces.uc.pt

13 de dezembro de 2012

10h00, Sala 1, CES-Coimbra

Feministas e Religiões em Diálogo

Eva Michel, Fawzia Hamid Mussa Ibraimo, Jacqueline Heinen, Júlia Garraio, Marijke de Koning e Teresa Toldy

Resumo
Este workshop debruça-se sobre as relações complexas existentes entre religiões e feminismos. Por um lado, verifica-se frequentemente uma falta de atenção à religião por parte das feministas. As questões das mulheres e de género são enquadradas frequentemente numa perspectiva secularista e a religião é considerada muitas vezes nos seus aspectos patriarcais, relacionados com o poder, como algo incapacitante, algo de que as mulheres devem emancipar-se. Além disso, nas sociedades europeias contemporâneas, as questões religiosas mais visíveis são relacionadas sobretudo com o multiculturalismo e a “religião dos outros”. Por outro lado, as questões de género também constituem um tema em debate dentro das comunidades religiosas e as teólogas feministas têm compromisso com a fé e com o género. Neste workshop pretendemos promover o diálogo entre feministas seculares e religiosas e entre religiões e feminismos, sobretudo explorando a complexidade das relações entre ambos.

O workshop está dividido em duas sessões. A primeira, com investigadoras na área da religião e do género. A segunda, com ativistas, que estabelecerão um diálogo entre si.

31 de janeiro de 2013

17h00, Sala 2, CES-Coimbra

Que Mulher és tu, Justiça?

Patrícia Branco (CES)

Resumo
A representação da justiça ao longo dos tempos e em diferentes partes do mundo tem assumido várias formas e elementos iconográficos, alguns dos quais se mantiveram constantes, outros mudaram de significado. Assim, deusas, virtudes cardinais, avestruzes, balanças, espadas, e até mesmo edifícios, compartilharam e continuam a partilhar uma mensagem que se transmutou e experienciou a passagem do tempo, bem como diferentes contextos políticos, económicos, religiosos e territoriais. Mas a forma que mais se tem destacado e influenciado o nosso olhar é a da figura da Justiça-Mulher, que tanto aparece vendada como de olhos destapados.
E, afinal, quem é esta mulher? É ela digna representante da justiça, da igualdade, da imparcialidade? Das mulheres?
Partindo dos textos de Judith Shklar (1990) e de Judith Resnik (2011), e com o apoio de imagens recolhidas em trabalho de campo, pretende-se, neste seminário, questionar a Justiça-Mulher, a forma ou formas que tem assumido, as interpretações que lhe têm estado associadas, os comportamentos que lhe são exigidos ou os desafios que lhe têm sido colocados, e, por via destes, o espaço que as mulheres têm assumido no mundo do direito e da justiça, inclusivamente ao nível do espaço físico dos tribunais.

Nota biográfica

Patrícia Branco é investigadora do CES desde Março de 2008 e membro do DECIDe (Núcleo da Democracia, Cidadania e Direito), sendo membro das equipas de diversos projetos de investigação. É doutoranda no Programa de Doutoramento “Direito, Justiça e Cidadania no séc. XXI” da Universidade de Coimbra, encontrando-se a concluir a dissertação. Foi, entre Abril de 2010 e Dezembro de 2011, a Investigadora Responsável do Projecto de Investigação «Arquitectura judiciária e acesso ao direito e à justiça: o estudo de caso dos tribunais de família e menores em Portugal» (concluído), financiado pela FCT/COMPETE. Os seus interesses de investigação centram-se no acesso ao direito e à justiça, entendido em sentido amplo; na questão da arquitetura judiciária, dos espaços da(s) justiça(s) e na administração da justiça; na relação do direito com as humanidades; e nas mutações do direito da família e e das crianças e suas relações com as temáticas do género.

Artigos em discussão retirados de:

SHKLAR, J. N. (1990) The Faces of Injustice, Yale University Press, New Haven and London

RESNIK, J. and CURTIS, D. (2011) Representing Justice, Yale University Press, New Haven and London

Quem desejar participar e ler previamente os artigos em discussão deverá enviar um e-mail para gw@ces.uc.pt

28 de fevereiro de 2013

17h00 | Sala 2 | CES-Coimbra

Título a definir

Isabel Caldeira (CES/FLUC)

21 de março de 2013

17h00, Sala 2, CES-Coimbra

O lado masculino do género:  masculinidades e (não)violências

Katia Cardoso (CES)

Resumo
Muitas vezes o termo género tem sido utilizado enquanto sinónimo de mulher, de feminino, tanto nos debates académicos como ao nível das políticas e projetos implementados, nomeadamente nos países do Sul Global. Gary Barker  e Philippe Bourgois são alguns dos autores que têm contribuído, através de inúmeros trabalhos de  investigação-ação, para complexificar esta abordagem. Este apelo à complexificação do olhar sobre as relações de poder entre homens e mulheres  não significa, no entanto, um apelo à conversão dos  jovens rapazes/homens em vítimas,  nem à desvalorização de progressos no campo feminista ao longo dos últimos anos. Significa, sim, uma outra forma de abordagem, um aumento de possibilidades para se pensarem politicas, projetos e programas de ação.
Nesta sessão proponho uma reflexão sobre o tema das masculinidades com base em dois textos dos autores referidos e no trabalho desenvolvido no âmbito da área de estudos para a paz do CES e do OGiVA, tendo em conta a centralidade do tema para a análise de questões  como insegurança e violência coletiva juvenil. Apesar de vários trabalhos sobre género e violência destacarem uma relação direta entre jovens rapazes e a prática de atos violentos, consubstanciada pela versão dominante da masculinidade, importa considerar que a maioria dos homens adota versões outras de masculinidades, baseadas noutros pressupostos que não a violência, que serão objeto de análise nesta sessão.

Artigos em discussão

 Barker, G. e Ricardo, C. (2006), “ Young Men and the Construction of Masculinity in Sub-Saharan Africa. Implications for HIV/AIDS, Conflict, and Violence”; The other half of gender. Edited by Ian Bannon e Maria C. Correia. World Bank;

Bourgois, Philippe. "In search of masculinity: violence, respect and sexuality among Puerto Rican crack dealers in East Harlem." British Journal of Criminology Summer 1996: 412+. Expanded Academic ASAP. Web. 21 May 2012.

Quem desejar participar e ler previamente os artigos em discussão deverá enviar um e-mail para gw@ces.uc.pt

Nota biográfica

Katia Cardoso é investigadora do Centro de Estudos Sociais e membro do Núcleo de Humanidades, Migrações e Estudos para a Paz e do Observatório sobre Género e Violência Armada (OGiVA). É doutoranda no Programa Pós-colonialismos e Cidadania Global. Tem o grau de Mestre em Estudos Africanos pelo Instituto Superior do Trabalho e da Empresa (ISCTE) e é licenciada em Relações Internacionais pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. Os seus interesses de investigação centram-se em questões relacionadas com violência coletiva juvenil, juventude em África, pós-colonialismos, deportação e diáspora cabo-verdiana.

18 de abril de 2013

17h00 | Sala 2 | CES-Coimbra

Título a definir

Vírgínia Ferreira (CES/FEUC)

30 de maio de 2013

17h00, Sala 2, CES-Coimbra

A Irmã de Newton: contextos e percursos das mulheres na ciência

Maria da Conceição Ruivo (Professora catedrática aposentada do Departamento de Física da Universidade de Coimbra)

27 de junho de 2013

17h00, Sala 2, CES-Coimbra

Iniciativas regionales para la exigibilidad de derechos: Convención Interamericana de los Derechos Sexuales y los Derechos Reproductivos

Carmen Tavera Valdivieso (Universidad Mayor de San Simón)

Resumo Este espacio de dialogo coloquial pretende socializar la propuesta de la Convención Interamericana de los Derechos Sexuales y los Derechos Reproductivos, impulsada por una alianza de organizaciones no gubernamentales de nueve países de América Latina y el Caribe que trabajan por los derechos de las mujeres, los derechos sexuales y reproductivos y la igualdad de las GLBT. Actualmente, la campaña está compuesta por más de 150 organizaciones que incluyen nueve países de la región.

La particularidad de la iniciativa es su construcción desde la sociedad hacia las esferas gubernamentales, planteando como demandas lo que las personas identifican como mayor prioridad en la agenda para el reconocimiento y ejercicio de sus derechos sexuales y derechos reproductivos. El tema es un campo de discusión polémico, confrontador y cargado de fundamentalismos religiosos y patriarcales, como se evidencia en la experiencia boliviana.

Nota biográfica

Carmen Tavera Valdivieso es maestrante en Derechos Humanos de la Universidad Mayor de San Simón en Bolivia, licenciada titulada en Comunicación Social por la Universidad Católica Boliviana con mención en Comunicación para el Desarrollo.

Hizo investigación académica en el tema de DSDR, Medios de comunicación y construcción de la identidad femenina, entre otros. Fue parte del equipo de investigación del Diagnóstico de DESC y Derecho a la Vivienda en Bolivia por encargo del Comité Latinoamericano de Defensa de los Derechos de las Mujeres, CLADEM.

Su interés profesional se ha centrado en el activismo y exigibilidad de derechos de las mujeres en Bolivia, trabajando en la Oficina Jurídica para la Mujer, el Viceministerio de Igualdad de Oportunidades del Estado Plurinacional de Bolivia, Católicas por el Derecho a Decidir- Bolivia y la Coordinadora de la Mujer, este ultimo como responsable de coordinación y relacionamiento con organizaciones sociales matrices de mujeres a nivel nacional.

 

Lieux

  • CES - Colégio de S. Jerónimo
    Coimbra, Portugal (3000-995)

Dates

  • mardi 20 novembre 2012
  • jeudi 13 décembre 2012
  • jeudi 31 janvier 2013
  • jeudi 21 mars 2013
  • jeudi 30 mai 2013
  • jeudi 27 juin 2013
  • jeudi 25 octobre 2012
  • jeudi 27 septembre 2012
  • jeudi 28 février 2013
  • jeudi 18 avril 2013

Contacts

  • CES
    courriel : ces [at] ces [dot] uc [dot] pt

URLS de référence

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Gender workshop series III », Séminaire, Calenda, Publié le vendredi 07 décembre 2012, http://calenda.org/229095