AccueilFronteiras e mobilidades na Península Ibérica, século XX

*  *  *

Publié le mercredi 21 novembre 2012 par Marie Pellen

Résumé

Neste colóquio internacional procura-se reunir propostas que possam contribuir para a análise das estratégias e das práticas de  diferentes actores que operam nas fronteiras: os que favorecem as mobilidades transnacionais (como passadores ou transportadores); os que as vigiam (as  autoridades fronteiriças e policiais). Pretende-se articular o estudo das  fronteiras e das mobilidades com as principais problemáticas que marcaram a investigação em ciências sociais sobre o século XX ibérico.

Annonce

Apresentação

Os estudos sobre fronteiras, ou border studies, são cada vez mais numerosos, afirmando-se como área autónoma de estudo em algumas universidades americanas. Este incremento resulta, em parte, da politização e do encerramento da fronteira entre os Estados Unidos da América e o México pela qual passaram ilegalmente milhares de migrantes latino-americanos. Com esta nova área de estudos, o termo fronteira alargou o seu âmbito: hoje o objectivo não é apenas estudar as fronteiras que separam dois Estados soberanos, como também as fronteiras sociais, étnicas, culturais. É neste sentido que a língua inglesa distingue diferentes fronteiras usando os termos boundaries, limits e frontiers.

Estes trabalhos abrem novas perspectivas que podem ser transpostas para a análise das fronteiras e mobilidades neste mesmo espaço geográfico e temporal.
Neste colóquio internacional procura-se reunir propostas que possam contribuir para a análise das estratégias e das práticas de diferentes actores que operam nas fronteiras: os que favorecem as mobilidades transnacionais (como passadores ou transportadores); os que as vigiam (as autoridades fronteiriças e policiais). Pretende-se articular o estudo das fronteiras e das mobilidades com as principais problemáticas que marcaram a investigação em ciências sociais sobre o século XX ibérico. Três temas podem ser privilegiados:

- Como as ditaduras ibéricas foram gerindo as mobilidades e as fronteiras; como é que o controlo das mobilidades e das fronteiras se inseriu na «economia política da repressão» levada a cabo, especialmente, pelas ditaduras iniciadas nos anos 30; em que medida as migrações – legais ou ilegais – podem ser consideradas como formas de resistência (da mobilidade como «arma dos fracos» às redes clandestinas de passagem das fronteiras organizadas pelos movimentos políticos).

- Os conflitos do século XX produziram importantes movimentos de fuga e de exílio fizeram das fronteiras locais dramáticos – a trajectória de Walter Benjamin é disso exemplo. Assim, os estudos sobre a travessia de fronteiras durante a Guerra Civil Espanhola ou a Segunda Guerra Mundial (fuga de populações europeias em trânsito para as Américas; movimento dos «évadés de France») inscrevem-se perfeitamente no âmbito do nosso colóquio.

- A questão das mudanças das fronteiras ibéricas provocadas pela entrada na União Europeia. Se os dois países ibéricos se afirmaram também como países de imigração e, sobretudo no caso de Espanha, como países de passagem, de que modo a livre circulação de cidadãos europeus imposta pela União Europeia e a implementação de dispositivos de controlo da imigração extra-europeia transformaram as fronteiras ibéricas e o próprio conceito de fronteira?

O colóquio pretende promover a interdisciplinaridade e acolher comunicações oriundas das várias disciplinas das Ciências Sociais.

As línguas serão: português, espanhol, francês e inglês.

Organização:

  • IHC-FCSH-UNL

Comissão Organizadora:

  • Victor Pereira (IHC-FCSH-UNL e Universidade de Pau)
  • Marta Silva (IHC-FCSH-UNL)
  • Yvette Santos (IHC-FCSH-UNL)
  • João Baía (IHC e IELT/FCSH-UNL)

Programa 

FCSH-UNL - Sala 006, Piso 0, Edifício I&D

Dia 13 de Dezembro

09h30-09h40: Sessão de Abertura

09h40 - 10h30: Sessão Inaugural

Paula Godinho IELT/FCSH-UNL e Dep. de Antropologia da FCSH

10h30-10h45: Pausa

10h45 – 12h15: Painel I - Fronteiras e Guerras

Federica Bertagna, Universidade de Verona: La península ibérica como lugar de tránsito en la segunda posguerra: fascistas italianos hacia Sudamérica.

Pedro Ferreira, FCSH-UNL: 100 estudantes, 2 fronteiras e 1 objetivo – derrotar o colonialismo português.
 
Nathalie Raoux, CNRS/EHESS: Walter Benjamin "dans une situation sans issue".
 
12h15 – 14h00: Almoço

14h00 – 15h30: Painel II - Fronteiras e Guerras

Sandro Rinauro, Universidade de Milão : La France face au franchissement des Pyrénées par les antifranquistes espagnols pendant la guerre froide.

Ricardo Silva, FCSH-UNL: A salto para a guerra. Voluntários Portugueses em Guerras Espanholas (1936-1944).
Dulce Simões, INET-MD/FCSH-UNL: Solidariedades fronteiriças na guerra civil espanhola: o caso de Barrancos.
15h30-15h45: Pausa

15h45 – 17h35: Painel III - Representações da fronteira

Cristina Clímaco, Université de Paris 8 Vincennes – Saint Denis: Fronteira e revolução. A actividade dos exilados políticos na raia espanhola (1927-1936).

Marie-Isabelle Vieira, CRILUS, Université de Paris Ouest-Nanterre la Défense : Le passage des frontières et ses acteurs sous la plume des écrivains portugais pendant l’Etat nouveau
 
Judith Bonnin, ICT, Université Paris Diderot – Paris 7 : Frontières ibériques et circulations politiques: les premiers voyages espagnol et portugais de François Mitterrand (1974-1976)”

Heloísa Paulo, CEIS20/ Universidade de Coimbra : Galeuzca/Portugal. Antifascismo e União Ibérica (1931-1961). 

Dia 14 de Dezembro

09h00-10h30: Painel IV - Vidas na fronteira I 

Eduarda Rovisco, CRIA: “Fuga desordenada em sentido retrógrado”. Contrabandistas, guardas e guardinhas na raia do concelho de Idanha-a-Nova.

William Kavanagh, Universidad CEU San Pablo, Madrid, Movilidades en un sector de la frontera luso-española en el siglo xx.
 
Inês Fonseca, CRIA: “Vou a Espanha ver o Prado” ou de como as fronteiras são divisões administrativas, mas sobretudo são políticas.
 
10h30-10h45: Pausa

10h45 - 12h35: Painel V - Vidas na fronteira II

Marta Silva, IHC/FCSH-UNL: Emigração clandestina no concelho do Sabugal, entre 1957 e 1965.

João Baía, IHC/FCSH-UNL e IELT/FCSH-UNL: Memórias raianas da porosidade da fronteira entre diferentes práticas.
 
Pedro Gomes, CES-UC: Mobilidade transfronteiriça clandestina: primeiras leituras das estratégias e práticas dos passadores de emigrantes na fronteira portuguesa (1957-1964).
 
Victor Pereira, IHC/FCSH-UNL e Université dePau : Capitaux sociaux et réseaux d’émigration clandestine au Portugal (1957-1974).
 
12h35-14h00: Almoço

14h00 - 15h50: Painel VI - Fronteiras em contexto autoritário

Martí Marín Corbera, Universitat Autònoma de Barcelona: Migrantes, fronteras y fascismos. El control de los desplazamientos por parte del régimen franquista, 1939-1962.

Rosa Arburua Goienetxe, Universidad del Pais Vasco: La traversée de la frontière Basque par les Portugais.
 
Mario Ivani, IHC/FCSH-UNL: Vigilância política das fronteiras em Portugal e na Itália dos anos Trinta. Modelos em comparação e algumas considerações sobre a colaboração entre a PVDE e a polícia de Mussolini.
 
Yvette Santos, IHC/FCSH-UNL: “Consciencializar para liberalizar” : la campagne de sensibilisation pour la libéralisation du mouvement migratoire, 1969-1971.
 
15h50-16h05 : Pausa

16h05-17h55: Painel VII - Europeização e reconfigurações da fronteira

Alice Cunha, IHC/FCSH-UNL: O Derrubar das Fronteiras: A Liberdade de Circulação de Trabalhadores nas Negociações de Adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia.

Artur Flamínio da Silva, FD-UNL; Daniela Mirante, FD-UNL: O impacto da jurisprudência do Tribunal de Justiça da União Europeia na redefinição do conceito de fronteira no fenómeno desportivo em Portugal.
 
Encarnación La Spina, Universidade de Valência: Evolución e impacto de las barreras legales en el tránsito de la movilidad familiar por los países ibéricos del espacio Schengen.
 
Bruno Monteiro, IS-UP; João Queirós, IS-UP: Horizontes e experiências da emigração portuguesa para Espanha no limiar do século XXI: o caso dos trabalhadores da construção civil.

17h55-18h10: Sessão de Encerramento

Victor Pereira IHC/FCSH-UNL e Université de Pau 

 

Lieux

  • FCSH - Universidade Nova de Lisboa - Av. de Berna, 26-C
    Lisbonne, Portugal (1069-061)

Dates

  • jeudi 13 décembre 2012
  • vendredi 14 décembre 2012

Contacts

  • Fronteirase Mobilidades na Península Ibérica, Século XX
    courriel : fronteirasemobilidades [at] gmail [dot] com

Source de l'information

  • Marta Maia
    courriel : martamaia72 [at] yahoo [dot] fr

Pour citer cette annonce

« Fronteiras e mobilidades na Península Ibérica, século XX », Colloque, Calenda, Publié le mercredi 21 novembre 2012, http://calenda.org/229881