AccueilRepresentações do espaço no tempo do space shuttle Columbia. As arqueologias hídricas da cidade de São Paulo

*  *  *

Publié le mercredi 15 janvier 2014 par Marie Pellen

Résumé

Representações do espaço no tempo do space shuttle Columbia - As arqueologias hídricas da cidade de São Paulo é o título do 2º número da revista "Passagens" (periódico associado ao Programa de Doutoramento em Arquitectura dos Territórios Metropolitanos Contemporâneos do ISCTE-IUL, editado pela Caleidoscópio). Esta segunda edição está a ser preparada em conjunto com professores e investigadores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), tendo como apoio específico o grupo de pesquisa “Metrópole Fluvial”.

Annonce

Preâmbulo

“Representações do espaço no tempo do space shuttle Columbia - As arqueologias hídricas da cidade de São Paulo” é o título do 2º número da revista PASSAGENS (periódico associado ao Programa de Doutoramento em Arquitectura dos Territórios Metropolitanos Contemporâneos do ISCTE-IUL, editado pela Caleidoscópio).

Este segundo número está a ser preparada em conjunto com professores e investigadores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), tendo como apoio específico o grupo de pesquisa “Metrópole Fluvial”.

Argumento

O space shuttle Columbia, fazendo parte de uma série de cinco vaivéns que a NASA produziu (Columbia, Challenger, Discovery, Atlantis e Endeavour), foi pioneira nas missões espaciais com naves reutilizáveis. Tendo efectuado missões a partir de 1981, viria a despenhar-se num acidente em 1 de Fevereiro de 2003. Nesse período, de cerca de duas décadas, assistiu-se a uma profunda alteração nas relações da humanidade com o território.

À medida que se foi ampliando a capacidade de observação do globo terrestre, através dos satélites colocados no espaço, também as relações globais se foram estreitando, aproximando todos os territórios terrestres. As comunicações entre os povos virtualizaram-se na complexidade das diversas redes que, numa dimensão planetária, acabaram por envolver o mundo. Este fenómeno provocou uma relativização das autenticidades culturais e uma metamorfose das relações humanas com o espaço.

A visualização da terra por satélite, ao mesmo tempo que potenciou fenómenos de globalização, veio tornar evidente as alterações eco-sistémicas, as quais, no contexto das grandes metrópoles, se verificam maioritariamente através da impermeabilização em grande escala do território, associada a um crescimento em massa da urbanização. Em paralelo com o impacto do frenesim da urbanização, começa a consolidar-se uma consciência sobre o desenvolvimento sustentável do planeta que, no Rio de Janeiro, em 1992, com a Agenda 21, dá um passo decisivo que viria a sedimentar-se já no início do novo milénio, em 2002, na Cimeira da Terra de Joanesburgo.

Portugal, com pouca interveniência nas disputas espaciais, recebe por contágio, tal como a generalidade das nações, os efeitos avassaladores das alterações em curso neste “admirável mundo novo”, ao mesmo tempo que desfruta do optimismo de um, ainda, frágil processo democrático na sequência de 25 de Abril de 1974. Foi no mandato governativo do advogado e jornalista Francisco Pinto Balsemão (no quadro do VII Governo Constitucional, da 3ª República Portuguesa), que o Columbia descolou do Kennedy Space Center em Cape Canaveral, Flórida.

No contexto Português são as cidades litorais que mais se alteram neste período. À cabeça, as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto alastraram-se conurbando-se com aglomerados ou cidades de média dimensão, formando um contínuo urbano na franja atlântica. Seria interessante mensurar as mudanças ocorridas, designadamente, na cidade de Lisboa através de um registo comparativo com São Paulo. A área Metropolitana de São Paulo é hoje o 2º maior aglomerado populacional do mundo, apenas superado pela cidade japonesa de Tóquio. As afinidades culturais que aproximam Portugal e Brasil funcionam como denominador comum nas relações comparativas que se podem estabelecer entre as principais metrópoles de cada um destes países.

Interessa-nos sobretudo compreender, através das ferramentas de representação, as distintas trajectórias de modernidades entre Portugal e o Brasil, procurando a síntese possível entre modernidade e tradição. Tanto a abstracção formal contextualista no caso português, como a paisagem projectada a partir da síntese entre forma e superfície no caso brasileiro colocam-nos, hoje em dia, diante de uma espécie de arqueologia de um território que outrora funcionava em harmonia plena entre a geografia física e os assentos humanos.

Com o objectivo de completar os alinhamentos editoriais em preparação para a 2ª edição da Revista PASSAGENS, desafiamos a comunidade científica a apresentar contributos com base nos seguintes temas:

Tema A

O conceito de espaço no debate arquitectónico no tempo do space shuttle Columbia.
Neste campo serão aceites artigos com (no máximo) 3000 palavras mais imagens; Os textos deverão ser acompanhados de um breve resumo (de 200 palavras). O material a enviar não deverá conter qualquer referência ao(s) autor(s) devido à revisão cega pelos pares. O nome do(s) autor(s) e biografia (com o máximo de 100 palavras) deve ser enviado em folha separada.
Lista dos documentos necessários para a submissão no tema A:

  • Resumo (200 palavras);
  • Texto (3000 palavras) com imagens;
  • Folha separada, incluindo título, o nome do autor e a sua biografia (100 palavras).

Tema B

Representações fotográficas, projectos, ou obras de arquitectura onde se coloque de manifesto os temas de suporte deste número da PASSAGENS. No caso de representações fotográficas são aceites sequências de 5 imagens acompanhadas de uma memória descritiva com no máximo 500 palavras. No caso de projectos ou obras de arquitectura deverá acrescentar-se desenhos relativos a plantas cortes e alçados. Os textos deverão ser acompanhados de uma biografia do(s) autor(es) (com 100 palavras).
Lista dos documentos necessários para a submissão no tema B:

  • Memória Descritiva (500 palavras);
  • Sequência de 5 imagens (fotografias);
  • Desenhos de arquitectura (plantas, cortes e alçados) para o caso de projectos ou obras de arquitectura
  • Folha separada, incluindo título, o nome do autor e a sua biografia (100 palavras).

Tema C

Apresentação de casos de estudo (obras de arquitectura, projectos artísticos, ou outros) associados ao mapeamento hídrico da cidade de São Paulo, considerado pela equipa de Metrópole Fluvial – Ver:www.metropolefluvial.fau.usp.br - Neste campo são aceites contributos com no máximo 1000 palavras e 2 imagens fotográficas.
Lista dos documentos necessários para a submissão no tema C:

  • Texto (1000 palavras);
  • 2 imagens;
  • Folha separada, incluindo título, o nome do autor e a sua biografia (100 palavras).

Muito Importante:

Devido à revisão cega por pares, todo o material deve ser enviado sem referências ao(s) autore(s). O nome do(s) autores e a sua biografia (100 palavras) deve ser envido em folha à parte.
Formatação requerida para os textos:

  • Texto formatado em: Arial, font size 12, 1,5 espaçamento de linhas;
  • Todos os artigos devem ser enviados em Inglês ou Português;
  • Os textos devem ser gravados em formato de Microsoft Word ou RTF.


Data final para submissão: 17 de Fevereiro de 2014.

O autores dos artigos são responsáveis por assegurar-se das permissões para o uso das imagens, suportando eventuais custos de reprodução.

Todos os documentos devem ser enviados para: revistapassagens@gmail.com.
Quaisquer outras questões devem igualmente ser enviadas para mesmo endereço electrónico.

Revista PASSAGENS

Director: Paulo Tormenta Pinto;
Directores Adjuntos: Ana Vaz Milheiro, José Luís Saldanha;
Parceria Curatorial da Passagens nº2: Jorge Bassani, Rodrigo Queiroz e Alexandre Delijaicov;
Comissão Científica: António Pizza, Hugo Segawa, J. A. Bandeirinha;
Coordenação Editorial: Hugo Oliveira;
Equipa de Projecto da Passagens nº2:: Alexandra Areia, Andreia Bastos Silva, Leonor Matos Silva , Pedro Machado Costa e Kirill Jedenov;
Design Gráfico: TRIGODESIGNSTUDIO;
Edição Caleidoscópio em parceria com o doutoramento
Arquitectura dos Territórios Metropolitanos do ISCTE-IUL.

Dates

  • lundi 17 février 2014

Mots-clés

  • Lisboa, São Paulo, Urbanismo, Desenho Urbano, ISCTE, ISCTE-IUL, FAU, FAU-USP, Metrópole Fluvial, Arquitectura, Arquitetura,

Contacts

  • Hugo Oliveira
    courriel : revistapassagens [at] gmail [dot] com

Source de l'information

  • Hugo Oliveira
    courriel : revistapassagens [at] gmail [dot] com

Pour citer cette annonce

« Representações do espaço no tempo do space shuttle Columbia. As arqueologias hídricas da cidade de São Paulo », Appel à contribution, Calenda, Publié le mercredi 15 janvier 2014, http://calenda.org/274515