Página inicialLer / escrever a microficção na América Latina : Micro identidades, macro transgressões

Ler / escrever a microficção na América Latina : Micro identidades, macro transgressões

Lire / écrire la micro-fiction en Amérique latine : micro-identités, macro-transgressions

Leer / escribir microficciones en América latina Micro-identidades, macro-transgresiones

Reading / writing microfiction in Latin America: micro-identities, macro-transgressions

*  *  *

Publicado Quarta, 20 de Janeiro de 2016 por Céline Guilleux

Resumo

A micro ficção faz parte das primeiras expressões literárias da humanidade. Assim, ela atravessa múltiplas experiências de escrita do Homem. Além disso, este gênero tem uma ressonância particular na atualidade latino-americana devido, em grande parte, às novas formas de explorar o espaço da escrita cibernética. As novas relações reescrevem as distâncias culturais, espaciais e temporais de uma geração nômade. No caso das micro ficções, o estudo da construção de um discurso identitário revela ser a chave para a definição da especialidade de um tal gênero literário na América Latina. Da mesma forma, isto nos permite situá-lo num contexto de mundialização das trocas, das referências e das cosmovisões. Nós priorizaremos este duplo movimento, pois consideramos que uma visão transcultural define não somente os limites internos do gênero, mas igualmente suas possíveis ramificações.

Anúncio

Quinta-feira 25 de fevereiro de 2016

Apresentação

A micro ficção faz parte das primeiras expressões literárias da humanidade. Assim, ela atravessa múltiplas experiências de escrita do Homem. Além disso, este gênero tem uma ressonância particular na atualidade latino-americana devido, em grande parte, às novas formas de explorar o espaço da escrita cibernética. As novas relações reescrevem as distâncias culturais, espaciais e temporais de uma geração nômade.

No caso das micro ficções, o estudo da construção de um discurso identitário revela ser a chave para a definição da especialidade de um tal gênero literário na América Latina. Da mesma forma, isto nos permite situá-lo num contexto de mundialização das trocas, das referências e das cosmovisões. Nós priorizaremos este duplo movimento, pois consideramos que uma visão transcultural define não somente os limites internos do gênero, mas igualmente suas possíveis ramificações.

Enquanto narração experimental, a micro ficção transgride as estratégias legitimadas pela escrita moderna. Ela propõe, a partir de sua brevidade, uma cumplicidade entre o leitor e o escritor que vai além do patrimônio cultural compartilhado. Assim, as micro ficções devem a sua eficácia à intemporalidade do que é narrado: “elas pretendem ter sido criadas desde a eternidade do sonho”.

Se a intemporalidade revela-se uma peça chave neste tipo de narração, a captura do instantâneo, do fugaz, faz igualmente parte do efeito estético provocado no leitor que percebe o texto não como um trecho, mas como um todo autossuficiente.

Nós concebemos a brevidade temporal e espacial como duas das principais características formais da micro ficção. No entanto, as propriedades se veem reforçadas pelos aspectos temáticos pontuais como a meta ficção e a intertextualidade que enriquecem as leituras possíveis explorando o conceito de palimpsesto. Desta forma, os cruzamentos entre o real e a ficção, o cinema, a fotografia, a literatura, mas igualmente (e sobretudo) a lógica cibernética, hibridam o gênero e o dispersam, fazendo desta disseminação uma de suas principais características.

Nós propomos os seguintes eixos de reflexão:

  • Diástole e sístole da narração: o espaço-tempo no gênero micro ficcional.
  • Ler/escrever a micro ficção: meta ficção e hipertextualidade na micro ficção.
  • Hibridação genérica e fragmentação da narrativa: da mini ficção à macro ficção e vice-versa.

Calendário das atividades

  • Manhã: Mesa redonda. Nós debateremos as questões ligadas à micro ficção a partir da análise de textos literários. O material de leitura será fornecido com antecedência aos estudantes e pesquisadores que desejarem participar. A modalidade de mesa redonda tem por objetivo iniciar os estudantes à metodologia da pesquisa literária através de um exercício coletivo.
  • Tarde: Atelier de leitura crítica e de escrita criativa.

Modalidades de participação

As pessoas interessadas poderão responder a esta chamada para comunicação segundo duas modalidades que não se excluem mutuamente:

Participação na mesa redonda: Os participantes deverão nos informar do título, bem como, do resumo de suas propostas de comunicação em espanhol, português ou francês (500 palavras no máximo) através do seguinte endereço de email: jdmicrofictions@gmail.com.

Esta não poderá exceder 20 minutos. Será possível, também, enviar sua hipótese de pesquisa e o texto estudado uma semana antes da Jornada de Doutorandos. (O objetivo desta modalidade é promover um debate entre expositores e ouvintes).

Envio de artigos: Nós lhe enviaremos as normas de apresentação. Os artigos aceitos pelo comitê de leitura farão parte de um dossiê dedicado à micro ficção que aparecerá na versão digitalizada da revista Escritural (CRLA-Archivos).

Datas importantes

  • Resumo e título da comunicação: 02 de fevereiro de 2016.

  • Aceitação da proposição: 15 de fevereiro de 2016.
  • Envio de artigos para publicação: 30 de abril de 2016.

Inscrição e informações: jdmicrofictions@gmail.com

Comitê de organisação

  • Maité Abadie (Benemérita Universidade Autônoma de Puebla/ CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Veronica Bernabei (CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Elodie Carrera (CECILLE, Universidade de Lille-3)
  • Mariana De Souza Novaes Gomes Teixeira (CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Daniele Fernanda Eckstein (CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Sérgio Levemfous (CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Sarah Porcheron (CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)

Comitê científico

  • Dr. Sylvie Josserand-Colla (CNRS/CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Dr. Michel Riaudel (Prof. CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)
  • Dr. Cécile Quintana (Prof. CRLA-Archivos, Universidade de Poitiers)

Categorias

Locais

  • Bâtiment A5 - MSHS, 5 rue Théodore Lefebvre
    Poitiers, França (86)

Datas

  • Quinta, 25 de Fevereiro de 2016

Palavras-chave

  • microfiction, narration, hypertextualité, lire, écrire, récit, macrofiction

Contactos

  • Veronica Bernabei
    courriel : jdmicrofictions [at] gmail [dot] com

Fonte da informação

  • Veronica Bernabei
    courriel : jdmicrofictions [at] gmail [dot] com

Para citar este anúncio

« Ler / escrever a microficção na América Latina : Micro identidades, macro transgressões », Chamadas de trabalhos, Calenda, Publicado Quarta, 20 de Janeiro de 2016, http://calenda.org/353372