Página inicialTensões locais e globais no século XXI: a América Latina (re)definida pelos seus escritores

Página inicialTensões locais e globais no século XXI: a América Latina (re)definida pelos seus escritores

Tensões locais e globais no século XXI: a América Latina (re)definida pelos seus escritores

Tensiones locales y globales en el siglo XXI: América Latina (re)definida por sus escritores

Tensions locales et globales au XXIe siècle : l’Amérique latine (re)définie par ses écrivains

Revista CECIL

Revue CECIL

*  *  *

Publicado quarta, 08 de setembro de 2021 por Céline Guilleux

Resumo

Desde a emergência das repúblicas, as autoras e os autores latino-americanos refletiram sobre o caráter intrínseco das literaturas nacionais. O que significa ser um escritor latino-americano no século XXI?

Anúncio

Coordenadores

  • Catherine Pélage (Pr, Université d’Orléans)
  • Félix Terrones (Assistenzdozent, Universität Bern)

Apresentação

Desde a emergência das repúblicas, as autoras e os autores latino-americanos têm refletido sobre o caráter intrínseco das literaturas nacionais. O que permitia caracterizar as literaturas peruana, chilena, brasileira ou colombiana em relação à literatura da metrópole? Graças a autores como o mexicano Alfonso Reyes ou o argentino Jorge Luis Borges, afirmou-se, durante o século XX, a ideia de uma literatura supranacional, escrita em espanhol e sem equivalente em outras perspectivas linguísticas e/ou culturais: trata-se da literatura latino-americana. A partir do século XXI, diversos escritores latino-americanos questionaram sua herança nacional e/ou local sem que isto significasse necessariamente a adoção de uma perspectiva continental ou latino-americana. Pelo contrário: vários autores consideravam a categoria “América Latina” alienante – a prioridade seria, segundo os mesmos, obter um reconhecimento num nível mundial, sem signos identitários locais, particularismos ou exotismos. Nesse sentido, autores como o mexicano Jorge Volpi, o chileno Alberto Fuguet, o peruano Fernando Iwasaki ou o colombiano Juan Gabriel Vásquez têm contribuído para esboçar um conceito de América Latina isenta de “latino-americanidades”.

Ao nos interessarmos pela produção ensaística de escritores latino-americanos, analisaremos, sob diferentes ângulos, os contatos, as passarelas, mas também as tensões, até mesmo os curto-circuitos, entre dimensões “nacionais” ou “locais”, por um lado, e “latino-americanas” por outro. Nessa perspectiva, privilegiaremos uma reflexão transversal que que enfatizará o diálogo ou a discussão entre diferentes posições e pontos de vista que circulam através das grandes editoras transnacionais (Alfaguara, Anagrama, Planeta, etc.), assim como, de maneira mais restrita, pelas editoras independentes, artesanais ou universitárias. A partir da análise de ensaios publicados desde 2000, distinguiremos a composição de um espaço teórico e literário – designado como latino-americano – constituído de fraturas estéticas, culturais e ideológicas de naturezas diferentes, que são veiculadas e (re)atualizadas por seus próprios autores. Ficaremos igualmente atentos às omissões evidentes feitas pelos autores ensaístas: por que, por exemplo, o questionamento sobre o que é “latino-americano” é formulado, antes de mais nada, por autores masculinos que não levam em consideração as vozes femininas ? Um outro aspecto a ser considerado está ligado às minorias raciais e sociais de cada uma das comunidades nacionais e às suas maneiras de abordar o tema latino-americano em seus respectivos ensaios.

É evidente que a reflexão não se limita ao gênero do ensaio. Ela se expressa igualmente em outras produções, como manifestos, entrevistas, prefácios de antologias. Curiosamente, essa reflexão parece exacerbar-se no século XXI, contexto de fluxos e de trocas em escala global, na qual as dimensões locais e latino-americanas co-existem, confundem-se ou se distanciam de acordo com as ideias expressas pelos autores e/ou pelos grupos. Por um lado, a integração em um espaço de circulações que ultrapassaria o que seria estritamente local ou nacional é reivindicada; por outro, a periferia é apresentada como um posicionamento político e estético, que não só é valorizado, mas que precisa, também, ser delimitado em sua natureza e em sua idiossincrasia a fim de evitar ser fagocitado ou colonizado pelas culturas e línguas hegemônicas. Tais questões são levantadas em manifestos como o Crack, McOndo e, recentemente, Caribe Pop. Elas são igualmente abordadas em entrevistas com autoras e autores como, por exemplo, Roberto Bolaño, Rita Indiana, Rodrigo Rey Rosa, Horacio Castellanos Moya, Junot Díaz, Diamela Eltit e Gabriela Alemán. O que significa ser um escritor latino-americano no século XXI? A pertinência e a atualidade dessa interrogação, as mudanças de percepção dos próprios autores, os espaços de discussão que eles inauguram são aspectos que devem ser levados em consideração a fim de responder a essa pergunta tão inspiradora quanto complexa.

Eixos de análise:

– A América Latina e o “latino-americanismo” entre o global e o local.

– As literaturas do “Sul” em um contexto internacional.

– Extraterritorialidade, transnacionalidade e cosmopolitismos.

– Tradição e ruptura: o campo literário na esfera local e latino-americana.

– Campo cultural e espaço socioeconómico.

– O ensaio: identidade e gênero literário na América Latina no século XXI.

– A América Latina nos ensaios literários e culturais: campos de ação e redefinições de um conceito-chave.

– O caso brasileiro no contexto latino-americano: como se posicionam os escritores.

Datas

  • Envio das propostas de artigo (300 palavras): 1° de novembro de 2021.

  • Reposta do comitê: 30 de novembro de 2021.
  • Entrega dos artigos: 30 de abril de 2022.
  • Publicação: início de 2023.

As propostas de artigo (em torno de 300 palavras) deverão ser acompanhadas de uma breve bibliografia e de uma curta apresentação do autor, enviadas num arquivo à parte a fim de facilitar o anonimato das propostas. Estas deverão ser enviadas aos coordenadores.

Línguas aceitas: Espanhol, francês, inglês e português.

Contatos:

  • Catherine Pélage: catherine.pelage@univ-orleans.fr
  • Félix Terrones: felixmartin55@gmail.com

(Traduit du français vers le portugais par Márcia Marques-Rambourg.

Relectures de Paulo Fonseca Andrade et de Lui Fagundes).

Bibliografia teórica e crítica

AINSA Fernando, Identidad cultural de Iberoamérica en su narrativa, Madrid: Gredos, 1986.

ALVAREZ RUIZ Ramón, «Escribir América en el siglo XXI: el Crack y McOndo, una generación continental», Iberoamericana, XVI, 2016, 63, pp. 67-90,

BENCOMO Anadelí, «Geopolíticas de la novela hispanoamericana contemporánea: en la encrucijada entre narrativas extraterritoriales e internacionales», en Revista de Crítica Literaria Latinoamericana, 69, 2009, pp. 33–50.

BOURDIEU Pierre, Raisons pratiques: sur la théorie de l’action, Paris, Seuil, 1996.

BOURDIEU Pierre, Les règles de l’art, Genèse et structure du champ littéraire, Paris: Seuil, 1998.

CANDIDO Antonio, Crítica radical, Caracas: Biblioteca Ayacucho, 1991.

CASANOVA Pascale, La république mondiale des lettres, París, Seuil, 2008.

CASANOVA Pascale (ed), Des littératures combatives, L’internationale des nationalismes littéraires, Paris: Raisons d’agir, 2011.

DE SOUZA SANTOS Boaventura, Una epistemología del sur, Siglo XXI, 2009.

DURAND Carine y Sandra RAGUENET, L’Amérique Latine entre critique et théorie, Paris: Classiques Garnier, 2015.

GARCIA CANCLINI Néstor, Latinoamericanos buscando lugar en este siglo, Buenos Aires: Paidós, 2002.

GLAUDES Pierre et Jean-François LOUETTE, L’Essai, Hachette, Paris, 1999.

GLAUDES, Pierre, L’essai: Métamorphose d’un genre, Toulouse : Presses universitaires du Mirail, 2002.

GRANADOS Aimer y Carlos MARICHAL, Construcción de las identidades latinoamericanas, Ensayos de historia intelectual siglos XIX y XX, México, El Colegio de México, 2009.

GUERRERO Gustavo, The French connection: Pascale Casanova, la literatura latinoamericana y La República Mundial de las Letras, Revista de Crítica Literaria Latinoamericana, 78, 2 (2013), pp. 109-121.

GUERRERO Gustavo, Paisajes en movimiento, Literatura y cambio cultural entre dos siglos, Buenos Aires: Eterna Cadencia, 2018.

HOYOS Héctor, Beyond Bolaño: the global Latin American novel, New York, Columbia University Press, 2015.

LUDMER Josefina, Aquí, América latina: una especulación, Buenos Aires, Eterna Cadencia, 2010.

MIGNOLO Walter, La idea de América Latina, La herida colonial y la opción decolonial, Barcelona: Gedisa, 2005.

MARÚN Gioconda, Latinoamérica y la literatura mundial, Buenos Aires, Editorial Dunken, 2013.

MORAÑA Mabel, Bourdieu en la periferia, Capital simbólico y campo cultural en América Latina, Santiago de Chile, Cuarto Propio, 2014.

OVIEDO José Miguel, Breve historia del ensayo hispanoamericano, Madrid, Alianza Editorial, 2007.

PÉLAGE Catherine, Littératures dominicaines en mouvement, Les performances littéraires de Rita Indiana et Rey Andújar, Rennes, PUR, 2020.

PÉREZ VEJO Tomás, Nación, identidad nacional y otros mitos nacionalistas, Oviedo: Ediciones Nobel.

SISKIND Mariano, Deseos cosmopolitas, Modernidad global y literatura mundial en América Latina, México: FCE, 2016.

SKIRIUS John, El ensayo hispanoamericano del siglo XX, FCE, México, 2004.

TERRONES Félix, «La novela latinoamericana frente al espejo: el caso de tres ensayos (Donoso, Fuentes, Volpi)», Revista de crítica literaria latinoamericana, Lima –Boston, Tufts University, 2015, n°2, pp.281-302.

TERRONES Félix, «La littérature latino-américaine au temps de la globalisation: le cas de Breves palabras impúdicas de Horacio Castellanos Moya», en WALDEGARAY Marta (ed.), Anfractuosités de la fiction, Inscriptions du politique dans la littérature hispanophone contemporaine, Reims, Epure, 2020, pp.267-283,

THIESSE Anne-Marie, La création des identités nationales, Europe XVIIIe-XXe siècle, Paris, Seuil, 2001.


Datas

  • segunda, 01 de novembro de 2021

Palavras-chave

  • literatura latinoamericana, identidad, tension, latinoamericanismo, cosmopolitismo

Contactos

  • Catherine Pélage
    courriel : catherine [dot] pelage [at] univ-orleans [dot] fr
  • Félix Terrones
    courriel : felixmartin55 [at] gmail [dot] com

Fonte da informação

  • Catherine Pélage
    courriel : catherine [dot] pelage [at] univ-orleans [dot] fr

Para citar este anúncio

« Tensões locais e globais no século XXI: a América Latina (re)definida pelos seus escritores », Chamada de trabalhos, Calenda, Publicado quarta, 08 de setembro de 2021, https://calenda.org/906455

Arquivar este anúncio

  • Google Agenda
  • iCal
Pesquisar OpenEdition Search

Você sera redirecionado para OpenEdition Search