AccueilAlimentação, saúde e ambiente: sustentabilidade e desafios

*  *  *

Publié le jeudi 12 avril 2018 par Anastasia Giardinelli

Résumé

Este seminário marca o início da agenda científica do Grupo de Trabalho Transições Tecnológicas: Memórias, Saberes e Práticas, constituído no âmbito do Colégio F3.​ A articulação entre alimentação, saúde e ambiente expressa, de forma inequívoca, a base em que assenta a relação milenar homem / natureza. Privilegiando uma abordagem multidisciplinar, este encontro pretende ser um fórum de discussão em torno das questões básicas do quotidiano das comunidades humanas, em especial as que respeitam à alimentação e à saúde e bem-estar na sua relação com o ambiente, considerando, por um lado, uma perspetiva de análise histórica que contemple diversidades geográficas, culturais e tecnológicas e, por outro, os desafios atuais face à globalização, à escassez de recursos, à sua sobre-exploração e às inovações tecnológicas para superar as dificuldades e / ou as consequências negativas dessa exploração.

Annonce

Apresentação

O Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (CH-FLUL) tem o prazer de co-organizar e acolher o Seminário Internacional Alimentação, Saúde e Ambiente: Sustentabilidade e Desafios, que terá lugar em outubro de 2018. Este seminário marca o início da agenda científica do Grupo de Trabalho Transições Tecnológicas: Memórias, Saberes e Práticas, constituído no âmbito do Colégio F3.

​A articulação entre alimentação, saúde e ambiente expressa, de forma inequívoca, a base em que assenta a relação milenar homem / natureza. Privilegiando uma abordagem multidisciplinar, este encontro pretende ser um fórum de discussão em torno das questões básicas do quotidiano das comunidades humanas, em especial as que respeitam à alimentação e à saúde e bem-estar na sua relação com o ambiente, considerando, por um lado, uma perspetiva de análise histórica que contemple diversidades geográficas, culturais e tecnológicas e, por outro, os desafios atuais face à globalização, à escassez de recursos, à sua sobre-exploração e às inovações tecnológicas para superar as dificuldades e / ou as consequências negativas dessa exploração.

Ao longo dos séculos, a sobrevivência e o desenvolvimento das comunidades humanas dependeu da sua relação com a natureza e das estratégias utilizadas para o aproveitamento dos recursos naturais. O processo de apropriação e domesticação da natureza foi progressivo, englobando procedimentos de recolha de lenhas para aquecimento e iluminação e de caça e recoleção de plantas e ervas para fins alimentares e medicinais, antes do desenvolvimento de práticas agro-pastoris e técnicas destinadas a assegurar a sua eficácia.

O aumento da população, a necessidade de organizar e gerir espaços rurais e urbanos e o processo de industrialização introduziram fatores de desequilíbrio nesta relação. Posteriormente, as políticas imperiais e coloniais transformaram-na em conflito potenciador de segregação e desigualdades sociais, com implicações diretas no acesso a bens e serviços essenciais e pondo em causa direitos hoje considerados fundamentais.

Ao longo do tempo esta relação constitui-se como espaço privilegiado onde conhecimento, técnica, ciência e poder se interpenetram, refletindo percursos marcados por inovações, adaptações e mudanças profundas, devido não só à curiosidade e às necessidades humanas e aos interesses políticos e económicos, como às mudanças ambientais que os condicionam ou deles resultam; todos eles contribuindo para moldar e configurar o mundo tal como o conhecemos hoje. Um mundo em que a maioria dos países sobre utiliza os recursos de que dispõe para atender às necessidades básicas das suas populações, tornando cada vez mais necessário encontrar alternativas para o uso racional e sustentado dos recursos do planeta.

Neste contexto, incorporando a componente das memórias, saberes e práticas tradicionais, pretende-se igualmente chamar a atenção para a importância dos arquivos e da recuperação interdisciplinar da informação histórica e o seu contributo para repensarmos ações e comportamentos no sentido de ajudar a solucionar ou minimizar alguns dos problemas actuais e contribuir para um Futuro Inteligente. Assim, daremos especial atenção às soluções encontradas pelas comunidades, ao longo do tempo e em função das suas especificidades, em particular no que respeita à água e ao saneamento, à irrigação e distribuição de espécies alimentares, à organização e gestão das zonas rurais e dos espaços urbanos ou à relação alimentação-saúde, esperando deste modo estimular também a discussão sobre tecnologias, sustentabilidade e direitos humanos.

A associação do Arquivo Histórico Ultramarino (AHU) a esta reunião permitirá a apresentação de uma exposição de documentos de arquivo relacionados com os tópicos da conferência, exposição que será objeto de visita durante o encontro.

Temas possíveis, mas não exclusivos:

  • Água: tecnologias tradicionais de gestão, armazenamento e distribuição
  • Alimentação e saúde: consumo alimentar sustentável
  • Alterações climáticas: impactos na saúde, na produção e no consumo de alimentos; impactos na paisagem e no modo de vida das populações
  • Demografia, organização e gestão de espaços urbanos e rurais: condicionantes e impactos sociais e económicos
  • Metrópoles, impérios e colónias: espaços geográficos e estratégias político-económicas numa perspetiva comparada
  • Organização e uso de informação histórica sobre alimentação, saúde e ambiente
  • Respostas socioculturais: sociedade civil, envolvimento e participação
  • Saúde: ambiente e políticas de saúde; saneamento; epidemias…
  • Outros temas

Submissão de resumos

As propostas devem ser enviadas até 15 de junho de 2018 através do preenchimento do formulário disponível em: http://www.centrodehistoria-flul.com/semintasasd#Form

As comunicações aprovadas poderão ser apresentadas em poster (10 minutos) ou oralmente (20 minutos), em Português ou Inglês, embora não seja possível a tradução simultânea.

Línguas oficiais: Português e Inglês

Datas

  • Recepção dos resumos: 30 de março – 15 de junho de 2018
  • Notificação de aceitação: 1 de julho de 2017
  • Confirmação / Inscrição: 15 julho – 1 setembro
  • Programa provisório: 1 de outubro de 2018

Para mais informações contactar seminario.asasd@gmail.com

Oradores convidados: Catarina Albuquerque

Organization

  • Ana Cristina Roque (CH-ULisboa)
  • Ana Canas (CH-ULisboa &AHU-DGLAB)
  • Luís Goulão (Colégio F3)
  • Maria Manuel Torrão (CH-ULisboa)
  • Marta Manaças (CH-ULisboa)

Coordenação científica

  • Ana Cristina Roque (CH-FLUL)
  • Ana Canas (CH - FLUL & AHU-DGLAB)
  • Ana Duarte Rodrigues (CIUHCT - FCUL)
  • Ana Thudichum Vasconcelos (Belas Artes -UL)
  • Catarina Prista (ISA)
  • Conceição Dias (ISA)
  • Dalila Espírito Santo (ISA)
  • Hermenegildo Fernandes (CH-FLUL)
  • Isabel Chagas (IE – UL)
  • Joana Sousa (FMUL)
  • José Damião Rodrigues (CH-UL)
  • Luís Ribeiro (IST-UL)
  • Maria Manuel Torrão (CH-UL)
  • Mariana Diniz (UNIARQ – UL)
  • Vítor Rosado Marques (FMH – UL)

Lieux

  • Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa - Alameda da Universidade
    Lisbonne, Portugal (1600-214)

Dates

  • vendredi 15 juin 2018

Fichiers attachés

Mots-clés

  • Alimentação, saúde, ambiente, sustentabilidade, globalização, recursos, sobrevivência, quotidiano

Contacts

  • Ana Cristina Roque
    courriel : anaroque1 [at] campus [dot] ul [dot] pt

Source de l'information

  • marta manaças
    courriel : mmanacas [at] letras [dot] ulisboa [dot] pt

Pour citer cette annonce

« Alimentação, saúde e ambiente: sustentabilidade e desafios », Appel à contribution, Calenda, Publié le jeudi 12 avril 2018, https://calenda.org/439447

Archiver cette annonce

  • Google Agenda
  • iCal